Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/82
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A PRÁTICA DE PROFESSORES DE ENSINO RELIGIOSO NA REDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO: A QUESTÃO DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICAN
metadata.dc.creator: CHINELLI, JULIANA DE JESUS
metadata.dc.contributor.advisor1: Filho, Ronaldo de Paula
metadata.dc.contributor.referee1: Ulrich, Claudete Beise
metadata.dc.contributor.referee2: Terra, Kenner Roger Cazotto
metadata.dc.contributor.referee3: Filho, Jose Adriano
metadata.dc.description.resumo: Este estudo delimitou como objetivo geral analisar as temáticas das diretrizes curriculares acerca da formação de professores de Ensino Religioso, e os tipos de influência que exercem em sua prática ao se tratar do significado da cultura do negro, a partir da abordagem de religiões de matriz africana. Entre os objetivos específicos destacam-se: realizar uma análise sobre o significado da cultura do negro, a partir da abordagem de religiões de matriz africana; promover um estudo empírico sobre as religiões de matriz africana, sobretudo, investigando também se há ação de formação continuada em serviço voltada para a cultura institucional e a formação intelectual do professor que pressupõe critica e autocrítica sobre a temática étnica; caracterizar Lei regulamentadora do Ensino Religioso no Rio de Janeiro e sua organização; e por fim, identificar as temáticas acerca da formação de professores de Ensino Religioso, e sua influência no significado da cultura do negro, a partir da abordagem de religiões de matriz africana. A justificativa do estudo está no fato de mostrar a influência e real aplicabilidade dos conceitos afrodescendentes nas grades curriculares das escolas municipais do Rio de janeiro e o nível de diálogo entre esses professores e seus alunos, sobre a cultura e religiões de matriz africana. Assim, busca-se levantar dados para saber de que forma os conflitos raciais e religiosos são abordados na escola, pois como instituição responsável pela formação do cidadão, deve enxergar os alunos como sujeitos no processo educacional e, assim sendo, deve buscar produzir relações harmônicas de modo a preservar as diferenças institucionais sem, no entanto, transformá-las em desigualdades. A presente pesquisa científica tem como objeto estudar as diretrizes curriculares do ensino da disciplina Ensino Religioso, a partir da abordagem de religiões de matriz africana. No caso deste estudo, serão entrevistados os professores que lecionam nas Escolas Públicas do Município do Rio de Janeiro, a fim de se compreender as influências no significado da cultura do negro, a partir da abordagem de religiões de matriz africana. As conclusões finais do estudo demonstraram que em resposta ao problema levantado, como objeto de estudo, constatou-se que as diretrizes curriculares utilizadas pelo município do Rio de Janeiro na formação de professores de Ensino Religioso, não exercem qualquer tipo de influência em sua prática ao se tratar da abordagem de religiões de matriz africana. “Os professores de Ensino Religioso ao serem questionados se abordam as religiões afro brasileiras em sala de aula, fundamentado nas diretrizes curriculares do município, disseram que: 80% não e 20% sim”. O ensino religioso confessional ofertado de forma facultativa na rede municipal não é satisfatório quanto à abordagem das religiões de matriz africana. Assim, percebeu-se que o ensino religioso confessional ofertado de forma facultativa na rede municipal não contribui efetivamente com a Lei 10.639/03, uma vez que não tem sido eficiente no combate ao racismo e à intolerância religiosa.
Abstract: This study has as a general objective to analyze the themes of the Curricular Guidelines on the formation of teachers of Religious Education, and the types of influence that they exert in their practice when dealing with the meaning of the culture of the black, from the approach of religions of African matrix. Among the specific objectives are: to carry out an analysis on the meaning of the culture of the black, from the approach of religions of African matrix; To promote an empirical study on the religions of African matrix, above all, investigating also if there is action of continuous formation in service directed to the institutional culture and the intellectual formation of the professor that presupposes critic and self-critic on the ethnic theme; Characterize the Regulatory Law of Religious Education in Rio de Janeiro and its organization; And finally, to identify the themes about the formation of teachers of Religious Education, and their influence on the meaning of the culture of the black, from the approach of religions of African matrix. The rationale of this study is to show the influence and real applicability of Afrodescendant concepts in the curricular grades of the municipal schools of Rio de Janeiro and the level of dialogue between these teachers and their students, on the culture and religions of African matrix. Thus, it is sought to raise data to know how racial and religious conflicts are addressed in school, because as an institution responsible for the formation of the citizen, must see the students as subjects in the educational process and, therefore, should seek to produce harmonic relations In order to preserve institutional differences without, however, turning them into inequalities. The present scientific research aims to study the curricular guidelines of the teaching of Religious Education, based on the approach of African religions. In the case of this study, teachers will be interviewed who teach in the Public Schools of the County of Rio de Janeiro, in order to understand the influences on the meaning of the culture of the black, from the approach of religions of African matrix. The final conclusions of the study demonstrated that in response to the problem raised, as object of study, it was verified that the curricular guidelines used by the city of Rio de Janeiro in the formation of teachers of Religious Education, do not exert any influence in their practice to the The approach of religions of African origin. “Teachers of Religious Education when asked if they approach the Afro-Brazilian religions in the classroom, based on the curricular guidelines of the municipality, said that: 80% is not 20% yes.” The confessional religious education offered on a voluntary basis in the municipal network is not satisfactory as regards the approach of religions of African origin. Thus, it was noticed that the religious education offered on a voluntary basis in the municipal network does not effectively contribute to Law 10.639 / 03, since it has not been effective in combating racism and religious intolerance.
Keywords: Ensino. Religioso. Matriz Africana. Prática de Professores
Teaching Religious. Matrix African. Teacher Practice.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
Citation: ALMEIDA, Fábio Portela Lopes de. Liberalismo político, constitucionalismo e democracia: a questão do ensino religioso nas escolas públicas. 2006. 316 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2006. ARRIBAS, Célia da Graça. O caráter religioso do espiritismo. Revista fragmentos de Cultura. Goiânia. Volume 23, n. 1, 2013. AZZI, Riolando. A cristandade colonial: mito e ideologia. Petrópolis: Vozes, 1987. AZENHA, Maria da Graça Azenha. Construtivismo: De Piaget a Emilia Ferreiro. São Paulo: Editora Ática, 1993. AQUINO, Felipe. Dom Filippo Santoro: o ensino religioso ilumina os alunos na busca do sentido para a vida. 5 de outubro de 2011. Disponível em http://cleofas.com.br/dom-filippo-santoro-o-ensino-religioso-ilumina-os-alunos-na-busca-do-sentido-para-a-vida/. Acesso em 2 de janeiro de 2017. BANON, Patrick. Para conhecer melhor as religiões. São Paulo: Claro Enigma, 2010. BASTID, Roger. As artes de Roger Bastid: Artigos sobre o Brasil foram fundamentais para a formação de seu pensamento. junho de 2011 in PESQUISA FAPESP. Disponível em http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2012/04/088-091-184.pdf?349aa2. Acesso em 13 de janeiro de 2017. BABATUNDE, Emmanuel D. A critical study of bini and yoruba value systems of Nigeria in change: culture, religion and the self. Lewinston, UK, The Edwin Mellen Press. 1992. BASTID, Roger. As religiões africanas no Brasil: contribuição a uma sociologia das interpenetrações de civilizações. São Paulo: Pioneira, Sociologia, 1989. BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo, vol 2 Livraria Pioneira, 1971, p. 316. BASTOS, Shirley da Silva. O ensino religioso: representações sobre um tema polêmico. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, RJ, 2005. BERGER, Peter Ludwig. O dossel sagrado: elementos para uma teoria sociológica da Religião. São Paulo: Paulus, 1985. BION, Davis. O problema da escravidão na cultura ocidental. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, pp. 82-83 BONAVIDES, Paulo; AMARAL, Roberto. Textos políticos da história do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1996. BRASIL. Decreto nº 19.941, de 30 de abril de 1931. Dispõe sobre a instrução religiosa nos cursos primário, secundário e normal. Diário Oficial da República do Brasil, Rio de Janeiro, 31 dez. 1931. BORDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. 5 ed. São Paulo: perspectiva, 1998, 53. BORBA, Denísia Martins. As memórias que preservam as histórias. In: VIII Encontro Regional Sudeste de História Oral (ABHO), 2009, Belo Horizonte. Anais. Disponível em <http://www.historial.kit.net/Denisiaborba.pdf>. Acesso em 20 de fevereiro de 2017, p. 2. BRASIL. Parecer CNE/CP 3/2004, aprovado em 10/3/2004. Diretrizes Curriculares para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, junho, 2005. BRASIL, Ministério da Educação. PCN - Parâmetros curriculares nacionais. Vol. I, II e III. Brasília, DF: SEMTEC Editora, 2002. BRASIL. Lei nº 9. 475, de 22 de julho de 1997. Dá nova redação ao art. 33 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 jul. 1997. BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 dez. 1996. CABRAL, Marcelo Cabral. Debate: Ensino religioso na rede pública de educação. 28 de dezembro de 2014. Disponível em http://www.forumrio.org/ultimas/ensino-religioso-na-rede-publica-de-educacao-do-rio-de-janeiro-divide-opinioes/. Acesso em 20 de dezembro de 2016. CANDIDO, Viviane Cristina. O ensino religioso e suas fontes: uma contribuição para epistemologia do Ensino Religioso. 2004. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Centro Universitário Nove de Julho, São Paulo, SP, 2004. CARVALHO, Francisco de Assis. O gênero editorial e a polêmica do ensino religioso. 2008. 217 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2008. CARNEIRO, Edilson. Candomblés da bahia. Editora do Museu do Estado da Bahia, Salvador, 1948, p. 42. CASSEB, Samir Araújo. Cultura de Paz e Não-Violência no Ensino Religioso: possibilidades através da vida e obra de Mahatma Gandhi. 2009. 98 f. Monografia (Licenciatura Plena em Ciências da Religião) - Universidade do Estado do Pará Belém, 2009. CAVALIERE, Ana Maria. Quando o Estado pede socorro a Religião. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v.1. n.2, p. 1-12, jul./dez. 2006. Disponível em: < http://revistas.ufrj.br/index.php/contempeduc/article/view/1503>, Acesso em: 12 mai. 2015. ISSN: 1809-5747. CONTINS, Márcia. Subjetividade e alteridade: os pentecostais negros no os pentecostais negros no Brasil e nos Estados Unidos. LOGOS 21: Comunicação e religiosidades - Ano 11, nº 21, 2º semestre de 2004. CUNHA JÚNIOR, Luiz Antônio. A educação na concordata Brasil-Vaticano. Educação & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 263-280, jan./abr. 2009. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v30n106/v30n106a13.pdf. Acesso em: 26 mai. 2016. ISSN: 1678-7110. CUNHA JÚNIOR, Luiz Antônio. A educação carente de autonomia: regime federativo a serviço da Religião. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 6, n. 10, p. 95-104. jan./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN: 2238-4391. CUNHA JÚNIOR, Luiz Antônio. Confessionalismo versus laicidade no ensino público. In: SAVIANI, Demerval. (Org.). Estado e políticas educacionais na história da educação brasileira. Vitória: EDUFES, 2010. CUNHA, Luiz Antônio. Educação, estado e democracia no Brasil. São Paulo: Cortez, 2005. CUNHA, Luiz Antônio. O Sistema Nacional de Educação e o ensino religioso nas escolas públicas. Educação & Sociedade, Campinas, v.34, n. 124, p. 925-941, jul./set. 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v34n124/14.pdf>. Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN: 1678-7110. CURY, Carlos Roberto Jamil. Ensino Religioso na Escola Pública: o retorno de uma polêmica recorrente. Revista Brasileira de Educação. Nº 27. Set/Out/Nov/Dez 2004. DERISSO, José Luis. O ensino religioso na escola pública e a epistemologia dos materiais implementados nas escolas oficiais do estado de São Paulo após a lei nº 9475/97. 2006. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, SP, 2006. DOMINGOS, Marília de Franchesci Neto. Ensino Religioso e Estado Laico: uma lição de tolerância. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 9, n. 9, p. 45-70. set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN: 1677-1222. FERNANDES, Vânia Cláudia. (As) simetria nos sistemas públicos de ensino fundamental em Duque de Caxias (RJ): a religião no currículo. 2014. 238 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2014. FERNANDES, Vânia Cláudia; MENDONÇA. Amanda André. A prática do ensino religioso nas escolas públicas do Rio de Janeiro após a Lei nº 3459/00. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE, 5., 2011, São Cristóvão. (Publicado em CD-ROM). FONAPER - FÓRUM NACIONAL PERMANENTE DO ENSINO RELIGIOSO. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso. 8 ed. São Paulo: Editora Ave-Maria, 2006. FIGUEIREDO, Anísia de Paulo - O Ensino Religioso - Perspectivas. Tendências e Desafios. Petrópolis. Vozes, 1996. GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar. Rio de Janeiro: Record, 1997, p. 34. GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a política e o estado moderno. 6. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976. LIMA, Aline Pereira. O uso da religião como estratégia de educação moral em escolas públicas e privadas de Presidente Prudente. 2008. 102 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, SP, 2008. GUALBERTO, Marcio Alexandre. Coletivo de Entidades Negras. Jornal Folha de São Paulo. Minorias lutam por lugar nas estatísticas. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0108201015.htm). Acesso em 3 de maio de 2017. HUBERMAN, A. Michael; MATTHEW, Milles B. Analyse dês donnés qualaitatives: recueil de nouvelles méthodes. Bruxeles. De Boeck Université, 1999. HORKHEIMER, Max. Eclipse da Razão. São Paulo: Centauro, 2002, p. 196. JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. Ensino Religioso: aspectos legal e curricular. 1 ed. São Paulo: Paulinas, 2007. LAKATOS, Eva Maria, MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia cientifica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1992. LANG, Alice Beatriz da Silva Gordo. Espiritismo no Brasil. Cad. CERU, Dez 2008, vol.19, nº2, p.173. LARA, Eugenio. Allan Kardec Racista? sábado, 16 de fevereiro de 2013. Disponível em http://umolharespirita1.blogspot.com.br/2013/02/allan-kardec-racista.html. Acesso em 17 de janeiro de 2017. LEÃO, Roberto. A questão ética não é privilégio das religiões. São Paulo: Agência Brasil, 2009. LIMA, Vivaldo da Costa (1984), “Nações-de-candomblé”, in LIMA, Vivaldo da Costa (org.), Encontro de nações de candomblé. Salvador, Centro de Estudos Afro-Asiáticos da UFBa e Ianamá. MAGNOLI, Demétrio. Uma gota de Sangue: História do Pensamento Racial. São Paulo: Contexto, 2009, p. 24 a 30. MÃE CARMEM PRISCO Religiosidade: As religiões de matriz africana e a escola. Disponível em http://www.acordacultura.org.br/artigos/18102013/religiosidade-as-religioes-de-matriz-africana-e-a-escola. Acesso em 2 de maio de 2017. MAGALHÃES A. C. de M. “Sincretismo como tema de uma teologia ecumênica”, em Estudos de Religião. UMESP, n. 14 (1998): 49-70. MBON, Friday M. “African traditional socio-religious ethics and national development: the nigerian case, in OLUPONA, Jacob K. African traditional religions in contemporary society, St. Paul, Minnesota, Paragon House. 1991. MENDONÇA, Amanda André. Religião na escola: registros e polêmicas na rede estadual do Rio de Janeiro. 2012. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2012. MONTEAGUDO Clarissa. Jornal EXTRA. Com medo de sofrer preconceitos, praticantes do candomblé não revelam crença no emprego. 28/01/2009. Disponível em http://extra.globo.com/noticias/rio/com-medo-de-sofrer-preconceito-praticantes-do-candomble-nao-revelam-crenca-no-emprego-187578.html). Acesso em 4 de maio de 2017. OLIVEIRA, Lílian Blanck de [et al.]. Ensino Religioso: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2007, p. 52. ORTIZ, Renato. A Morte Branca do Feiticeiro Negro. Umbanda e Sociedade Brasileira. São Paulo: Brasiliense. 1978. PACHECO, Lwdmila Constant. Discussão acerca da influência da pertença religiosa na afirmação da negritude. Mestranda em Psicologia Social pela UFS. Disponível em https://bdtd.ufs.br/bitstream/tede/2412/1/LWDMILA_CONSTANT_PACHECO.pdf. Acesso m 2 de maio de 2017. PASSOS, João Décio. Ensino Religioso: construção de uma proposta. 1 ed. São Paulo: Paulinas. 2007. PINHO, Leandro Garcia; VARGAS, Evandro Francisco Marques. O processo da escolarização do Ensino Religioso confessional no sistema público estadual do Rio de Janeiro: contrapontos da Lei 3.459/00 à realidade escolar. Revista Acadêmica de Licencia & Acturas. v. 4, nº 1, janeiro/junho de 2016. Disponível em http://www.ieduc.org.br/ojs/index.php/licenciaeacturas/article/view/96/92. Acesso em 3 de fevereiro de 2017. POLIAKOV, Léon.. O Mito Ariano: Ensaio sobre as fontes do racismo e dos nacionalismos. São Paulo: Perspectiva, Ed. da Universidade de São Paulo, 1974, p. 142. PRANDI, Reginaldo. A intolerância contra o Candomblé – A raiz do racismo no Brasil. Disponível em https://ceticismo.net/2009/02/04/a-intolerancia-contra-o-candomble-a-raiz-do-racismo-no-brasil/. Acesso em 2 de maio de 2017. PRANDI, Reginaldo. As religiões afro-brasileiras em ascensão e declínio. Ver também: José Ivo Folmann. Trânsito religioso e o ´permanente peregrinar`. Cadernos IHU em formação, Ano VIII, n. 43, 2012, PRESS, Gaudim. Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprova Lei de Ensino Religioso. Rio de Janeiro, Quarta-feira, 05-10-2011. Disponível em http://www.gaudiumpress.org/content/30299-Camara-Municipal-do-Rio-de-Janeiro-aprova-Lei-de-Ensino-Religioso#ixzz4XMdFwmxH. Acesso em 4 de janeiro de 2017. QUINTANA, Eduardo. Intolerância religiosa na escola: o que professoras filhas de santo tem a dizer sobre esta forma de violência. Revista Fórum Identidades, Itabaiana, v. 14, n. 14, p. 127-140, jul./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em 26 mai. 2015. ISSN: 1982-3916. RANQUETAT JÚNIOR, César Alberto. Laicidade, laicismo e secularização: definindo e esclarecendo conceitos. Revista Sociais e Humanas, Santa Maria, v. 21, n. 1, p. 67-75, jan./jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN: 2317-1758. REHBEIN, F. Candomblé e Salvação. A religião nagô à luz da teologia cristã. São Paulo: Loyola, 1985. RIO DE JANEIRO (Estado). Lei nº 3459, de 14 de setembro de 2000. Dispõe sobre ensino religioso confessional nas escolas da rede pública de ensino do estado do Rio de Janeiro. Diário Oficial do Estado, Rio de Janeiro, 14 set. 2000. RIO DE JANEIRO (Estado). Projeto de Lei nº 1840 de 18 de outubro de 2000. Dá nova redação à lei nº 3459, de 14 de setembro de 2000 que dispõe sobre ensino religioso confessional nas escolas da rede pública de ensino do Estado do Rio de Janeiro. Diário Oficial do Estado, Rio de Janeiro, 18 out. 2000 ROHDE, Bruno Faria. Revista de Estudos da Religião. Umbanda, uma Religião que não Nasceu: Breves Considerações sobre uma Tendência Dominante na Interpretação do Universo Umbandista, março / 2009 / pp. 77-96. ROLIM. F. C. “Religiões Africanas no Brasil e Catolicismo. Um Questionamento”, em África. USP-FFLCH, Rev. do CEA, 1978(1): 41-62. SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre, Artmed, 2000. SANTOS, Guaraci Maximiniano dos. Umbanda, Reinado e Candomblé de Angola: uma tríade Bantu na promoção da vida responsável. Dissertação de Mestrado. PUC-MG, Belo Horizonte, 2015. SAVIANI, Demerval. A trajetória da pedagogia católica no Brasil: da Hegemonia à Renovação pela Mediação da resistência Ativa. In: RAMOS, Lilian Maria Paes de Carvalho (Org.). Igreja, estado e educação no Brasil. Rio de Janeiro: Papel Virtual, 2005. SAVIANI, D. A nova lei da educação: trajetórias, limites e perspectivas. 3. ed.Campinas: Autores Associados. 1997. p. 15. SIGNIFICADO. O que é proselitismo. Disponível em https://www.significados.com.br/proselitismo/. Acesso em 23 de março de 2017. SILVA, Allan do Carmo; MENDONÇA, Amanda André de; BRANCO, Jordana Catelo; FERNANDES, Vânia. Desafios à laicidade nas escolas públicas no estado do Rio de Janeiro. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 14, n. 36, p. 26-42, jul. 2014. Disponível em: < http://goo.gl/WttSGY>. Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN: 1982-0305. SILVEIRA, Renato da (2000), “Jeje-nagô, iorubá-tapá, aon efan e ijexá: processo de constituição do candomblé da Barroquinha, 1764-1851”. Revista Cultura Vozes, Petrópolis, 94 (6):80-101. SME. Secretaria Municipal de Educação. Sanção da lei do Ensino Religioso nas escolas da rede: Escolas de turno único oferecerão a disciplina, que será opcional para alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. 19/10/2011 20:11:00. Disponível em http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/exibeconteudo?article-id=2226122. Acesso em 2 de maio de 2017. SCHWARCZ, Lilia Moritz. O Espetáculo das Raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil (1870-1930). São Paulo: Cia. Das Letras, 1993, p. 47 e 48. SKIDMORE, Thomas E. Fato e mito: descobrindo um problema racial no Brasil. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 79, nov., 1991, pp. 6-7. ULTIMATO. O dilema do proselitismo nas escolas. Disponível em http://www.ultimato.com.br/conteudo/o-dilema-do-proselitismo-nas-escolas. Acesso em 23 de março de 2017. VAIDERGORN, José. Ensino religioso em escola pública pode gerar discriminação. São Paulo: Agência Brasil, 2008. p. 4. VON, Cristina. Cultura de paz: o que os indivíduos, grupos escolas e organizações podem fazer pela paz no mundo. São Paulo: peiropolis, 2003. XAVIER, Juarez Tadeu de Paula. Limites Conceituais no estudo das religiões Afrodescendentes. (2005, p. 1117.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/82
Issue Date: 30-Jun-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertaçao - Juliana de Jesus Chinelli_p.pdfDissertaçao - Juliana de Jesus Chinelli_p6,9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.