Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/69
metadata.dc.type: Dissertação
Title: COMUNIDADE IMAGINÁRIA: A IURD E O HABITUS NEO-JUDAICO A PARTIR DO NOVO TEMPLO DE SALOMÃO
metadata.dc.creator: RODRIGUES, NELSON LELLIS RAMOS
metadata.dc.contributor.advisor1: Ribeiro, Osvaldo Luiz
metadata.dc.contributor.referee1: Rosa, Wanderley Pereira da
metadata.dc.contributor.referee2: Matos, Sonia Missagia de
metadata.dc.contributor.referee3: Ribeiro, Osvaldo Luiz
metadata.dc.description.resumo: À luz da Sociologia Figuracional e do conceito de comunidade imaginária, esta dissertação visa analisar a apropriação de um discurso (aqui denominado) “neo-judaico” pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) a partir de seu mais novo empreendimento – equipamento – estrutural, o Templo de Salomão (TdS), construído no bairro do Brás, na cidade de São Paulo, em julho de 2014. Elencando comportamentos dotados de ritos, discursos e elementos simbólicos para uma fundamentação identitária romântica de origem, relacionando exclusivamente o fiel no novo TdS, buscou-se compreender as clivagens desse novo habitus, ou seja, dessa segunda natureza (ou “saber social incorporado”) instaurada na vida, na personalidade do membro/frequentador daquele espaço cúltico. A partir do registro dos principais equipamentos (físicoestrutural; simbólico-imagético; litúrgico/retórico-ritual) capazes de inspirar no fiel iurdiano um (novo/outro) comportamento baseado nos modelos de fé do Antigo Testamento, percebeu-se que o TdS trabalha exclusivamente o habitus neo-judaico, por fazer uso de “memórias” bíblicas como em nenhum outro templo iurdiano.
Abstract: In the light of Sociology figurational and the concept of imaginary community, this dissertation analyzes the appropriation of a speech (here called) “neo-Jewish” by the Universal Church of the Kingdom of God (UCKG) from his younger enterprise - equipment - structural, the Temple of Solomon (ToS), built in the neighborhood of Brás, in São Paulo in July 2014. Listening behaviors endowed rites, speeches and symbolic elements for a romantic identity grounds of origin, relating exclusively the faithful in the new ToS, we sought to understand the cleavages of this new habitus, that is, this second nature (or “know corporate social”) established in life, the member’s personality / goer that cultic space. From the record of major equipment (physical-structural, symbolic and imagistic, liturgical / rhetorical-ritual) able to inspire the faithful iurdiano one (new / other) behavior based on the models of Old Testament faith, it was realized that the ToS it works exclusively neo-Jewish habitus, to make use of “memories” Bible like no other iurdiano temple.
Keywords: Igreja Universal do Reino de Deus; Templo de Salomão; Norbert Elias; Habitus; Comunidade Imaginária.
Universal Church of the Kingdom of God; Temple of Solomon; Norbert Elias; Habitus; Imaginary Community.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
Citation: ALVES, Cíntia Marques; LOPES, Ederaldo José. Falsas Memórias: questões teóricometodológicas. Paidéia: UFU, 17(36), 2007. ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. __________. Nação e Consciência Nacional. São Paulo: Ed. Ática, 1989. BACZKO, Bronislaw. A imaginação social. In: Enciclopédia Einaudi, ed. portuguesa, Lisboa, Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1985. BARBOSA, Carlos Antônio Carneiro. Novos tempos, novo(s) templo(s)? O novo Templo de Salomão e a possível ressignificação na tipologia e na práxis da Igreja Universal do Reino de Deus. In: OLIVEIRA, David Mesquiati de (org.). Pentecostalismos em diálogo. São Paulo: Fonte Editorial, 2014. __________. O (novo) Templo Pentecostal: entre a urgência, a emergência, a abstinência e a extinção dos símbolos na unidade cristã entre os pentecostais. In: OLIVEIRA, David Mesquiati (org.). Pentecostalismos em Unidade. São Paulo: Fonte Editorial, 2014. BARROS, Diana L. Pessoa de; FIORIN, José Luiz (orgs.). Dialogismo, polifonia, intertextualidade em torno de Bakhtin. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 1994. BAUDRILLARD, Jean. El sistema de los objetos. París: Éditions Gallimard, 1968. BAZÁN, Francisco García. Aspectos incomuns do sagrado. São Paulo: Paulus, 2002. BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova edição, revista e ampliada. São Paulo: Paulus, 2002. BONFATI, Paulo. A expressão popular do sagrado: uma análise psico-antropológica da Igreja Universal do Reino de Deus. São Paulo: Paulinas, 2000. BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2005. __________. Esquisse d’une théorie de la pratique: précedé de trois études d’ethnologie kabyle. Paris: Seuil, 1972. __________. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. __________. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. __________. Sociologia. Renato Ortiz (org.). São Paulo: Ática, 1983. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 116 __________. Travail et travailleurs en Algérie. Paris: Mouton, 1963. BOUZON, Emanuel. O templo, o palácio e o pequeno produtor na baixa Mesopotâmia Pré-Sargónica. Cadmo - Revista do Instituto Oriental da Universidade de Lisboa, n. 4/5, 1995. BRAVIN, C. Contribuiciones de la Teoría de Norbert Elías a la Sociología del Cuerpo y las Emociones. In: Simposio Internacional Proceso Civilizador, 11, 2008, Buenos Aires. Anais... Buenos Aires: Universidad de Buenos Aires, 2008. CABRAL, J. Entre o vale e o monte. Rio de Janeiro: Universal, 1998. CAMPOS, Daniel Vasconcelos. O Historicismo em Max Weber. Perspectivas, São Paulo, v. 40, p. 147-175, jul./dez., 2011. CAMPOS, Leonildo Silveira. As origens norte-americanas do pentecostalismo brasileiro. Revista USP, São Paulo, n. 67 (2005), p. 110-115. __________. Teatro, templo e mercado: organização e marketing de um empreendimento neopentecostal. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. CAPDEVIELLE, Julieta. La Sociología Figuracional de Norbert Elias y El Estrutucturalismo Genético de Pierre Bourdieu. Aposta – Revista de Ciencias Sociales: encuentros y desencuentros. Nº 52, Enero, Febrero y Marzo 2012. CAPRIGLIONE, Laura. A nova fase da Igreja Universal. Disponível em: <http://outraspalavras.net/outrasmidias/destaque-outras-midias/a-nova-fase-da-igrejauniversal/>. Acesso em: 25 de fev. 2016. CARNEIRO, Deivy Ferreira. Interacionismo e Interdependência: uma breve análise das contribuições de Norbert Elias para a História Social. Laboratório de História Econômica e Social. Anais do I Colóquio do LAHES/UFJF. Juiz de Fora, 13 a 16 de junho de 2005. CASSIRER, E. A Filosofia das Trocas Simbólicas 1: a linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001. CASTORIADES, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 117 CERRI, Fernando Luis; SILVA, José Alexandre. Norbert Elias e Pierre Bourdieu: biografia, conceitos e influências na pesquisa educacional. Revista Linhas, Florianópolis, v. 14, n. 26, jan./jun. 2013, p. 171–198. CEZAR, Paulo. Por que a Universal utilizou símbolos da cultura judaica na construção do Templo de Salomão? Disponível em: <http://www.universal.org/noticias/2014/07/23/ por-que-a-universal-utilizou-simbolos-da-cultura-judaica-na-construcao-do-templo-desalomao- 30539.html>. Acesso em: 24 de abr. 2015. CÔRTES, Norma. Cultura e ludicidade em José Ortega y Gasset e Johan Huizinga. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Ano 173, n. 456, jul./set., 2012, p. 253-266. CROATTO, José Severino. As linguagens da experiência religiosa: uma introdução à fenomenologia da religião. São Paulo: Paulinas, 2001. DAWKINS, Richard. A Escalada do Monte Improvável – uma defesa da teoria da evolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. DETIENNE, Marcel. A Invenção da Mitologia. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio; Brasília-DF: UNB, 1998. __________. Comparar o incomparável. São Paulo: Ideias & Letras, 2004. DOSSE, François. A História. Bauru-SP: EDUSC, 2003. DUMAZEDIER, Joffre. Sociologia Empírica do Lazer. São Paulo: Perspectiva, 1979. DUNNING, Eric e MENNELL, Stephen. “Prefácio à edição inglesa”. In: ELIAS, Norbert. Os alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1997. DURKHEIM, E. As Regras do Método Sociológico. 11. ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1984. ELIADE, Mircea. Mito do Eterno Retorno. São Paulo: Ed. Marcuryo, 1992. ELIADE, Mircea e COULIANO, I. Dicionário das Religiões. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1993. ELIAS, Norbert. A Sociedade da Corte – investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 118 __________. Escritos & Ensaios. Vol. 1: Estado, processo e opinião pública. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006. __________. 1986, “Figuration”, “Soziale Prozesse” and “Zivilisation”, in Bernhard Schäfers (ed.), Grundbegriffe der Soziologie (Opladen: Leske e Budrich), p. 88–91, 234– 41, 382–87. __________. Mozart, a sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1995. __________. Norbert Elias Por Ele Mesmo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2001. __________. Introdução à Sociologia. Lisboa, Portugal: Ed. 70, 2008. __________. O Processo Civilizador, vol. I: uma história dos costumes. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994. __________. O Processo Civilizador, vol. II: formação do Estado e Civilização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994. __________. Teoría del Símbolo – um ensayo de antropologia cultural. Edición e introducción de Richard Kilminster: Ediciones Península, 1994. ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. El ócio en el espectro del tempo libre. In: ELIAS, N; DUNNING, Eric. Deporte y ócio en el processo de la civilización. Madrid: Fondo de Cultura Económica, 1992, p. 117-145. ELIAS, Norbert e SCOTSON, John L. Os Estabelecidos e os Outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. ESTATUTO e REGIMENTO INTERNO. Rio de Janeiro: Universal, s.d. FERNANDES DE SOUZA, Edilson. Weber e Elias: pontos e contrapontos na metodologia das Ciências Sociais. Conexões: revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, Campinas, v. 1, n. 1, p. 8-17, jul./dez. 1998. FONSECA, J.J.S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. GALLAZZI, Sandro; RIZZANTE, Anna Maria. Ensaios sobre o pós-exílio (1ª parte): mecanismos de opressão. 2. ed. São Leopoldo: Oikos, 2008. GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 119 GERSTERNBERGER, Erhard S. Israel no tempo dos persas: séculos V e IV antes de Cristo. São Paulo: Ed. Loyola, 2014. HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2003. HAHN, Fábio André. História intelectual: Uma nova perspectiva (parte 2). Disponível em: <http://www.historiaehistoria.com.br>. Acesso em: 15 de mar. 2016. HALL, Stuart. A Identidade Cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006. HALL, Stuart. The work of representation. In: RUTHER-FORD, J. (org). Identity: community, culture, difference. Londres: Lawrence and Wishart, 1997. HEINICH, N. A Sociologia de Norbert Elias. Bauru: Editora da Universidade do Sagrado Coração, 2001. HELDE, V. Um chute na idolatria. Rio de Janeiro: Universal, 1999. HERRERA, Sonia E. Reyes. Reconstrução do Processo de Formação e Desenvolvimento da Área de Estudos da Religião nas Ciências Sociais Brasileiras. Tese de doutorado. Porto Alegre: UFRS, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pósgraduação em Sociologia, 2004. HUIZINGA, J. Desarollo de la Ciencia Histórica desde comienzos del siglo XIX. In: Sobre el estado actual de la Ciencia Histórica: cuatro conferencias. Tucuman: Ed. Cervantes, 1934. __________. El concepto de la historia y otros ensayos. México: Fondo de Cultura Económica, 1980. __________. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 4. ed. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2000. KIRSCHNER, Tereza Cristina. Lembrando Norbert Elias. Revista Textos de História. Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em História, vol. 7, nº 1/2, 1999. __________. História e Sociologia: a contribuição de Norbert Elias. Revista História e Cultura, Franca, v.3, n.3 (Especial), p. 53-65, dez. 2014. LAITIMAN, Michael. Cabala: alcançando mundos superiores: um guia para a descoberta espiritual. São Paulo: Planeta do Brasil, 2006. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 120 LALANDE, André. Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1994. LANDINI, Tatiana S.; PASSIANI, Enio. Jogos Habituais – sobre a noção e habitus em Pierre Bourdieu e Norbert Elias. X Simpósio Internacional, Processo Civilizador. Campinas, SP: UNICAMP/FEF, 2007. LIVERANI, Mario. Para além da Bíblia. História antiga de Israel. São Paulo: Paulus; Ed. Loyola, 2008. LOYAL, Steven; QUILLEY, Stephen (org.). The Sociology of Norbert Elias. Cambridge University Press, New York, 2004. MACEDO, Edir. A fé de Abraão. Rio de Janeiro: Editora Gráfica Universal LTDA, 2002. __________. Mensagens. Rio de Janeiro: Universal, 1995. __________. Nada a Perder. Vol. 3. São Paulo: Planeta, 2014. __________. O despertar da fé. Rio de Janeiro: Universal, 1997. __________. O diabo e seus anjos. Rio de Janeiro: Universal, 1995. __________. O perfeito sacrifício. Rio de Janeiro: Universal, 1996. __________. O poder sobrenatural da fé. Rio de Janeiro: Universal, 1997. __________. Orixás, caboclos e guias: deuses ou demônios? Rio de Janeiro: Universal, 1997. MADURO, R. Nossa batalha. Rio de Janeiro: Universal, 1997. MAFRA, Clara. A “arma da cultura” e os “universalismos parciais”. Rio de Janeiro: Revista Mana, vol. 17, n. 3, 2011, p. 607-624. MALERBA, Jurandir. A Influência Intelectual de Norbert Elias. In: LOPES, M.A. Grandes Nomes da História Intelectual. São Paulo: Contexto, 2003. __________. Ensaios: teoria, história e ciências sociais. Londrina: EDUEL, 2011. MAUSS, Marcel. Esboço de uma teoria geral da magia. São Paulo: EPU-EDUSP, 1974. MENDONÇA, Antônio Gouvêa; VELASQUES FILHO, Prócoro. Introdução ao protestantismo no Brasil. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2002. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 121 MENNELL, Stephen. Parsons and Elias. University of Exeter, UK. Published in translation in Sociologie et société 21:1 [1989]. MORAES FILHO, Evaristo de (Org.). Georg Simmel: sociologia. São Paulo: Ática, 1983. MOREIRA DE SOUZA, Ronivaldo. A construção mitológica de uma marca religiosa: o discurso organizacional da Igreja Universal. In: GONÇALVES, Elizabeth M.; GIACOMINI FILHO, Gino (orgs.). Comunicação orgânica na sociedade. São Caetano do Sul: USCS, 2015, p. 199-215. MÜLLER, Marcos José. Merleau-Ponty: acerca da expressão. Porto Alegre: EDIPUCS, 2001. NEIBURG, F.; WAIZBORT, L. Apresentação. In: ELIAS, Norbert. Escritos & Ensaios. Vol. 1: Estado, processo e opinião pública. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006. NERY, Maria Clara. Sociologia contemporânea. Curitiba: IESDE Brasil S.A., 2007. NERY, Salete. Pontes: proximidades e distanciamentos entre as propostas de sociologia de Georg Simmel, Pierre Bourdieu e Norbert Elias. Teoria & Pesquisa, vol. XVI – n. 02 – Jul./Dez. de 2007. NEUBERT, Luiz Flávio. Indivíduo, liberdade e lazer na modernidade. Soc. e Cult., Goiânia, V. 13, N. 2, p. 277-285, Jul./Dez., 2010. ORO, Ari Pedro; CORTEN, André; DOZON, Jean Pierre. Igreja Universal do Reino de Deus: os novos conquistadores da fé. São Paulo: Paulinas, 2003. ORTEGA Y GASSET, José. Conversión de la física en geometria. – Observación o invención. – Grecia o Egipto. Obras Completas, tomo V [1933–1941]. 6. ed. Revista de Occidente, Madrid, 1964. __________. Em Torno a Galileo. Obras Completas, tomo V (1933–1941). 6. ed. Revista de Occidente, Madrid, 1964. PANNENBERG, Wolfhart. Fé e Realidade. São Paulo: Fonte Editorial, 2004. PEÑA-ALFARO, Alex Antonio. Estratégias discursivas de persuasão em um discurso religioso neo-pentecostal. Tese [Doutorado] – Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Artes e Comunicação. Programa de Pós-Graduação em Letras. Doutorado em Linguística, 2005. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 122 PEREIRA, Luís F. Lopes et al. Autoconsciência e Processo Civilizacional em Norbert Elias. Relações Internacionais no Mundo Atual, n. 2, 2002, p. 19-46. PILATTI, Luiz Alberto. Et al. Norbert Elias e Eric Dunning: Estudos sociológicos acerca do desporto e do lazer. Revista de Economia Política de las Tecnologías de la Información y Comunicación <www.eptic.com.br>, vol. IX, n. 1, ene. – Abr./2007. PILLA, Maria Cecília Barreto Amorim. Manuais de civilidade, modelos de civilização. História em Revista. Vol. 09, dez. 2003. PLATÃO. A República. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1965. QUINTANEIRO, Tania et al. Um Toque de Clássicos: Marx, Durkheim e Weber. 2. ed. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003. RANGEL, Marcelo. Os componentes do Templo. Disponível em: <http://www.universal.org/noticias/2014/08/03/os-componentes-do-templo- 30581.html>. Acesso em: 24 de fev. 2016. REDE, Marcelo. Família e patrimônio na antiga Mesopotâmia. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007. REINA, Eduardo. O Templo de Salomão deve custar R$ 200 milhões. O Estado de São Paulo, São Paulo, 22 de jul. 2010. Disponível em: <http://saopaulo. estadao.com.br/noticias/geral,replica-do-templo-de-salomao-deve-custar-r-200- milhoes-imp-,584551>. Acesso em: 24 de fev. 2016. RIBEIRO, Luci Silva. Processo e figuração: um estudo sobre a Sociologia de Norbert Elias. Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, SP: [s.n.], 2010. RIBEIRO, Osvaldo Luiz. A Cosmogonia de inauguração do templo de Jerusalém – o Sitz im Leben de Gn 1,1-3 como prólogo de Gn 1,1-2,4a. Tese [Doutorado em Teologia] – Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2008. __________. Poeira em rodapés, duendes e tipo ideal – uma provocação. Disponível em: <http://peroratio.blogspot.com.br/2014/03/2014099-poeira-em-rodapes-duendese. html>. Acesso em: 15 de ago. 2014. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 123 __________. Se é assim, então Deus pessoalmente ditou a Bíblia. 10 de abril de 2015. Disponível em: <http://peroratio.blogspot.com.br/2015/04/2015407-se-e-assim-entaodeus. html>. Acesso em: 01 de out. 2015. ROSSI, Luiz Alexandre. Sumérios. In: FUNARI, Pedro Paulo. As Religiões que o Mundo Esqueceu – como egípcios, gregos, celtas, astecas e outros povos cultuavam seus deuses. São Paulo: Ed. Contexto, 2009. SANCHIS, Pierre. A Contribuição de Émile Durkheim. In: TEIXEIRA, Faustino (Org.). Sociologia da Religião – enfoques teóricos. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. SANDARS, N. K. A epopéia de Gilgamesh. São Paulo: Martins Fontes, 1992. SAVOIA LANDINI, Tatiana. Reseña de “Escritos & Ensaios. Vol. 1: Estado, processo e opinião pública”. Norbert Elias em perspectiva. Revista Brasileira de Ciências Sociais – vol. 22, n. 64, junho, 2007, p. 169-173. SAVOIA LANDINI, Tatiana; PASSIANI, Enio. Jogos Habituais – sobre a noção de habitus em Pierre Bourdieu e Norbert Elias. X Simpósio Internacional: Processo civilizador. Campinas-SP: Unicamp-FEF, 2007. SCHEFF, Thomas J. Elias, Freud and Goffman: shame as the master emotion. In: LOYAL, Steven; QUILLEY, Stephen [org.]. The Sociology of Norbert Elias. Cambridge University Press, New York, 2004. SCHMIDT, Maria L. Sandolval e MAHFOUD, Miguel. Hawbwachs: memória coletiva e experiência. Psicologia (USP), S. Paulo, v.4, n. 1/2, p. 285-298, 1993. SCHWANTES, Milton. Ageu. Comentário Bíblico Latino-Americano. São Paulo: Loyola, 2008. SERBENA, Carlos Augusto. Imaginário, ideologia e representação social. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, n. 52, dez. 2003. SETTON, Maria da Graça J. A Teoria do Habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. FAPESP, São Paulo, n. 20, Mai/Jun/Jul/Ago, 2002. SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 15. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2014. SILVEIRA, Rafael Alcadipani da. Michel Foucault: poder e análise das organizações. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2005. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 124 SIMMEL, Georg. Questões Fundamentais da Sociologia – Indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2006. SMELSER, Neil J. Teoria del compartamiento colectivo. México: Fondo de Cultura Economica, 1995. SOARES, Ivonete; CAMPBELL, Rê. Templo de Salomão: primeiro dia de inaugurações. Disponível em: <http://www.universal.org/noticia/2014/07/19/templo-de-salomaoprimeiro- dia-de-inauguracoes-30499.html>. Acesso em: 26 de fev. 2016. SOUZA, Cleinton. Sim, somos racistas – análise sociológica do racismo à brasileira. Ed. Curitiba-PR: Appris, 2015. STEIN, Lilian M; PERGHER, G. K. Criando falsas memórias em adultos por meio de palavras associadas. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14(2), 2001, p. 353-366. STERNBERG, R. J. Psicologia cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000. TADEU, Tomaz (Org.). O Panóptico. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008. TEIXEIRA, Faustino (Org.). Sociologia da Religião – enfoques teóricos. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. UNIVERSAL: Igreja do Reino de Deus. Louvores do reino. Rio de Janeiro: Universal, 1998. VAUX, Roland de. Instituições de Israel no Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2004. VOGELS, Walter. Davi e sua história. 1 Samuel 16,1 – 1 Reis 2,11. São Paulo: Loyola, 2007. WACQUANT, Loïc. Notas para Esclarecer a Noção de Habitus. Revista do Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Portugal, n. 14, 2004, p. 35-41. WAIZBORT, Leopoldo (Org.). Dossiê Norbert Elias. 2. ed. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 2001. WIESE, L. As quatro categorias fundamentais: processo social, distância, espaço social e configuração social, 1933. In: BARRETO, R.; WILLEMS, E. Leituras sociológicas. São Paulo: Revista de Sociologia, 1940. Certificado pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade Unida de Vitória – 22/07/2016. 125 ZABATIERO. Júlio P.T. Um Deus à Altura dos Desafios da Realidade [Isaías 40-55]. In: LELLIS, Nelson (org.). Espiritualidade para o século XXI – subsídios teológicos para a espiritualidade de todo cristão. São Paulo: Fonte Editorial, 2012, p. 139-160.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/69
Issue Date: 22-Jul-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Nelson Lellis Ramos Rodrigues.pdfDissertação - Nelson Lellis Ramos Rodrigues17,96 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.