Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/44
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A (IN) TOLERÂNCIA RELIGIOSA: UMA REFLEXÃO SOBRE SÍMBOLOS RELIGIOSOS NO CONTEXTO DA ESCOLA PÚBLICA
metadata.dc.creator: AMBROSIM, SANDRA RIBEIRO DA SILVA
metadata.dc.contributor.advisor1: Ulrich, Claudete Beise
metadata.dc.contributor.referee1: Brotto, Julio Cezar de Paula
metadata.dc.contributor.referee2: Andrioli, Liria Ângela
metadata.dc.contributor.referee3: Ulrich, Claudete Beise
metadata.dc.description.resumo: Nos dias atuais, refletir sobre o tema tolerância e intolerância é imprescindível. A tolerância é comprometida com a integridade, e, quando trabalhada no âmbito escolar, ela semeia a paz, mediando todas as formas de relações e possibilitando a construção do respeito. O objetivo deste estudo é apresentar a escola como um espaço público da vivência e da pluralidade, mas também, como espaço onde acontecem atitudes intolerantes entre professores/as e alunos/as. No entanto, é possível constatar que em muitas delas, sejam públicas ou privadas há símbolos religiosos cristãos, apontando para o cristianismo como religião majoritária. O Estado é laico e, por consequência, a escola também o é. Isso indica que não é possível a prática de somente uma doutrinação religiosa, é preciso entender que todas necessitam ter o seu espaço. Portanto, esta pesquisa nasce da experiência pedagógica cotidiana e das perguntas de como lidar com essas situações que fomentam a intolerância religiosa. O contexto público escolar é marcado pela diversidade e pluralidade religiosa e cultural. É necessário ficar claro que a escola pública brasileira é o lugar onde essa pluralidade social e cultural acontecem e é o local onde deveria prezar a tolerância, expressada como respeito ao diferente, incluindo a diversidade dos símbolos religiosos. Além disso, é preciso refletir sobre ações pedagógicas concretas, como práticas inovadoras, que sejam capazes de superar a intolerância religiosa. Para Paulo Freire, a Escola é considerada um espaço público privilegiado na construção do conhecimento, sendo esse o melhor caminho para o diálogo. Diálogo esse que possibilita o respeito aos valores de cada um e tem como contribuição a formação do indivíduo para a transformação da sociedade, no sentido de torná-la menos desigual e mais democrática, superando assim a intolerância religiosa. A dissertação está baseada em pesquisa bibliográfica, documental e fundamenta-se no método ver, julgar e agir.
Abstract: Nowadays, thinking about tolerance and intolerance is indispensable. Tolerance is compromised with integrity, and when it is worked out in the school environment, it disseminates peace, mediating all forms of relationships, and making it possible to build respect. The goal of this study is to present the school as a public space of experience and plurality, but also as a place where intolerant attitudes between teachers and students occur. However, it is possible to verify that in many of them, whether public or private, have Christian religious symbols, pointing to Christianity as a majority religion. The state is laic and, consequently, the school is also secular. That is an indication that it is not possible to practice only a religious indoctrination, it is necessary to understand that all of them need to have their space. Therefore, this research begins with the daily pedagogical experience and the questions of how to deal with situations that promote religious intolerance. The public school context is marked by diversity and religious and cultural plurality. It is necessary to be clear that the Brazilian public school is where this social and cultural plurality takes place and is the place where tolerance should be praised, expressed as respect for the different, including the diversity of religious symbols. Besides, it is necessary to reflect on concrete pedagogical actions, such as innovative practices, that are capable of overcoming religious intolerance. For Paulo Freire, the School is considered a free public space in the construction of knowledge, which is the best way for dialogue. Dialoguing allows respect for the values of each one, having as a contribution the formation of the individual for the transformation of society, in the sense of making it less unequal and more democratic, thus overcoming religious intolerance. The dissertation is based on bibliographical, documentary research and is based on the see, judge and act method.
Keywords: Tolerância. Intolerância. Escola Pública. Símbolos religiosos. Ciências da Religião.
Tolerance. Intolerance. Public School. Religious symbols. Religious Science.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
Citation: ALMEIDA, Ronaldo. Dez anos “do chute na Santa”: a intolerância com a diferença. In: SILVA, Vagner Gonçalves da (Org.). Intolerância Religiosa: Impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro. São Paulo: Universidade de São Paulo. 2007. BARBOSA, Ivison Guilherme Teixeira, GOMINHO, Leonardo Barreto Ferraz. A religião e a política de um Estado Laico: o proselitismo religioso do Congresso Nacional que põe em risco a essência de nossa democracia. Disponível em: <https://ferrazbar.jusbrasil.com.br/artigos/417434145/a-religiao-e-a-politica-de-um-estado-laico-o-proselitismo-religioso-do-congresso-nacional-que-poe-em-risco-a-essencia-de-nossa-democracia>. Acesso em: 20 jun. 2017. BOFF, Clodovis; BOFF, Leonardo. Como fazer teologia da libertação. 10 ed. Petropólis: Vozes, 2010. BONAVIDES, Paula; AMARAL, Roberto. Textos políticos da história do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1996. BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação popular na escola cidadã. Petrópolis: Vozes, 2002. BRASIL. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. Disponível em: <http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2017. BRASIL, Presidência da República. Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20 jul 2017. BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 20 jan. 2018. BRASIL. Lei Nº 9.475, de 22 de Julho de 1997. Dá nova redação ao art. 33 da Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9475.htm>. Acesso em: 20 nov. 2016. BRASIL/MEC/SE. Referenciais para Formação de Professores. Ministério da Educação, Brasília/ Secretaria da Educação Fundamental, 1999. p. 24. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002179.pdf>. Acesso em: 20 set. 2017. BUTTELLI, Felipe Gustavo Koch. De ocupações a teologias: desafios públicos à Teologia. Encontros Teológicos, nº. 69, Ano 29, n. 3, p. 111, 2014. Disponível: <https://revista.facasc.edu.br/ret/article/download/92/84>. Acesso em 20 jun. 2017. CASAGRANDE, A. D., BARBIERO, M. H. M. Castelo da Pré História ao Início do Século XX. 1ª ed. Castelo: Gráfica Impresso, s.d. CATÃO, Francisco. Em busca do sentido da vida: a temática da educação religiosa escolar. São Paulo: Paulinas, 1993. Cidade de Castelo, estado do Espírito Santo. Disponível em: <http://www.castelo.es.gov.br/site/index.asp>. Acesso em 20 dez. 2017. CORONA, Lúcia Cerne Guimarães; NAGEL, Lígia Helena. Preconceitos e estereótipos em professores e alunos. Petrópolis: Vozes; 1978. CUCHE, Denys. O Conceito de Cultura nas Ciências Sociais. Tradução de Viviane Ribeiro. 2 ed. Bauru: EDUSC, 2002. DIÁRIO OFICIAL DOS PODERES DO ESTADO. Portaria nº 78R de 07 de abril de 2014. Diário Oficial do Espírito Santo. Disponível em: <http://sedu.es.gov.br/cefope>. Acesso em: 20 out. 2017. DOMINGOS, Marília De Franceschi Neto. Ensino Religioso e Estado Laico: uma lição de tolerância. Revista de Estudos da Religião, p. 51, 2009. Disponível em: <http://www.pucsp.br/rever/rv3_2009/t_domingos.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2017. ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Lei Estadual Nº 10.149. Criação do Centro de Formação dos Profissionais da Educação do Espírito Santo. Vitória, Espírito Santo, Brasil: Diário Oficial do Espírito Santo, 17 de dezembro de 2013. Disponível em: http://www.al.es.gov.br/antigo_portal_ales/images/leis/html/LO10149.html. Acesso em: 20 out. 2017. FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Aurélio século XXI: o dicionário da Língua Portuguesa. 3a. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. FONTANA, Roseli A. Cação. Como nos tornamos professoras? 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários para a prática educativa. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 4 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1997. FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987 GIUMBELLI, Emerson. Crucifixos em recintos estatais e monumento do Cristo redentor: distintas relações entre símbolos religiosos e espaços públicos. In: ORO, Ari Pedro. STEIL, Carlos Alberto; CIPRIANI, Roberto; GIUMBELLI, Emerson (Orgs.). A Religião no espaço público: Atores e objetos.São Paulo: Terceiro Nome, 2012. GOMES, Wilson. Apontamentos sobre o conceito de esfera pública política. In: MAIA, Rousiley; CASTRO, Maria Céres Pimenta Spínola (Org.). Mídia, esfera pública e identidades coletivas. Belo Horizonte: UFMG, 2006. GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO (SEDU). Diretrizes para a Formação Continuada dos Profissionais da Educação do Espírito Santo. 2014. Secretária de Estado do Espírito Santo, 2014. Disponível em: <http://sedu.es.gov.br/Media/sedu/pdf%20e%20Arquivos/CEFOPE/DiretrizesFormacao ContinuadadosProfissionaisdaEducacaodoEspiritoSanto.pdf>. Acesso em: 23 set. 2017. HOLANDA, Ângela. M. R. Ensino Religioso: Aspecto legal e curricular. São Paulo: Paulinas. 2007. IBGE. Censo Populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 12 jan. 2018. IBGE. Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2004_2008/>. Acesso em: 12 jan. 2018. IGLECIO, Patrícia. Por liberdade religiosa, cultos afro lutam contra o preconceito em vários níveis. Rede Brasil Atual. 19 Set. 2014. Disponível em: <http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2014/09/intolerancia-religiosa-582.html>. Acesso em: 20 jul 2017. JACOBINA. Paulo Vasconcelos. Estado laico, povo brasileiro: reflexões sobre liberdade religiosa e laicidade estatal. São Paulo: Ltr. 2015. JOHNSON, Phillip E. Ciência, intolerância e fé. A cunha da verdade: rompendo os fundamentos do naturalismo. 2. ed. Trad. Elizabeth Gomes. Viçosa: Ultimato. 2007. JUNQUEIRA, Sergio R.A.; CORRÊA, Rosa L. T.; HOLANDA, Ângela M. R. Ensino religioso: aspecto legal e curricular. São Paulo: Paulinas, 2007. MALLON, Brenda: Os símbolos místicos - um guia completo dos símbolos e sinais mágicos e sagrados- símbolos de Antigas Civilizações e religiosos. São Paulo. Larousse, 2009. MAGALHÃES, Antônio Carlos de Melo. Violência, símbolo e religião. Relação entre monoteísmo e violência Estudos de Religião, Ano XXI, n. 32, p. 12, jan/jun 2007. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/article/view/202/212>. Acesso em: 20 jun. 2017. MANOEL, Ivan A.; ANDRADE, Solange Ramos de. (Orgs.). Tolerância e intolerância nas manifestações religiosas. Franca: UNESP, FDHSS. 2010. MARTINS, Zildete Inácio; PEREIRA, Liliana Lemus. A identidade e a crise do profissional docente. In: BRZEZINSKI, Iria (Org.). Profissão professor: identidade e profissionalização docente. Brasília: Plano, 2002. MIRCEA , Eliade. Tratando da história das religiões. Tradução de Fernando Tomaz; Natália Nunes. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008. NASSER, Maria Celina Cabrera. O uso de símbolos: sugestões para a sala de aula. São Paulo: Paulinas. 2006. NÓVOA, Antônio. (Coord.). Os professores e sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote. 1995. ORO, Ari Pedro. STEIL, Carlos Alberto; CIPRIANI, Roberto; GIUMBELLI, Emerson. Introdução. In: ORO, Ari Pedro. STEIL, Carlos Alberto; CIPRIANI, Roberto; GIUMBELLI, Emerson (Orgs.). A Religião no espaço público: Atores e objetos. São Paulo: Terceiro Nome, 2012. PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1999. PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Plano Municipal de Educação 2014/2024. Cidade de Castelo – estado do Espírito Santo. Disponível em: <http://castelo.es.gov.br/imagens/noticias/arquivos/plano_ municipal_educacao.pdf>. Acesso em: 20 out. 2017. PRANDI, Reginaldo. Converter indivíduos, mudar culturas. Tempo Social, v. 20, n. 2, p. 155-157, nov. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ts/v20n2/08.pdf>. Acesso em: 20 out. 2017. RANKING DECRESCENTE DO IDH-M DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), 2010. Disponível em: <http://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/>. Acesso em: 12 jan. 2017. RANQUETAT JÚNIOR, César Alberto Laicidade à Brasileira: um estudo sobre a controvérsia em torno da presença de símbolos religiosos em espaços públicos. Tese de doutorado. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012. RIBEIRO, Cláudio de Oliveira. Pluralismo e libertação. São Paulo: Paulinas. 2014. SANCHEZ, Wagner Lopes. Pluralismo religioso no mundo atual. 2 ed. São Paulo: Paulinas, 2010. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CASTELO – ES. Plano Municipal de Educação 2014/2024. Disponível em: <http://castelo.es.gov.br/imagens/noticias/arquivos/ plano_municipal_educacao.pdf>. Acesso: em 22 out. 2017. SILVA, Clemildo Anacleto. RIBEIRO, Maria Bueno. Intolerância religiosa e direitos humanos. Porto Alegre: Sulina; Universidade Metodista. 2007. SILVA, Clemildo Anacleto. Educação, tolerância e direitos humanos: a importância de valores humanos na escola. Porto Alegre: Sulina; Universitária Metodista, 2009. SILVA, Vagner Gonçalves da (Org.). Intolerância Religiosa: Impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro. São Paulo: Universidade de São Paulo. 2007. SOARES, Thiago; CALAGNO, Luiz. Ataques de intolerância religiosa contra estátuas de orixás envergonha o DF. Correio Braziliense, 31 dez. 2015. Disponível em: <http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2015/12/30/interna_cidadesdf,512374/ataques-de-intolerancia-religiosa-contra-estaruas-de-orixas-envergonha.shtml>. Acesso em: 20 de jun. 2017. SORIANO, Aldir Guedes. Direito à liberdade religiosa sob a perspectiva da democracia liberal. In: SORIANO, Aldir Guedes; MAZZUOLI, Valério de Oliveira (org.). Direito à liberdade religiosa: desafios e perspectivas para o século XXI. Belo Horizonte: Editora Fórum, 2009. VEIGA, Ilma Passos A. Professor: tecnólogo de ensino ou agente social. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro; AMARAL, Ana Lucia (Org.). Formação de professores: políticas e debates. Campinas: Vozes, 2002. WALZER, Michael. Da tolerância. São Paulo: Martins Fontes. 1999.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/44
Issue Date: 8-Dec-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Sandra Ribeiro da Silva Ambrosim.pdfDissertação - Sandra Ribeiro da Silva Ambrosim4,03 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.