Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/26
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A ESPIRITUALIDADE NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM CÂNCER
metadata.dc.creator: CASTRO, GEANE FREITAS PIRES DE
metadata.dc.contributor.advisor1: Santos, Francisco de Assis Souza
metadata.dc.contributor.referee1: Ribeiro, Osvaldo Luiz
metadata.dc.contributor.referee2: Brotto, Léia Damasceno de Aguiar
metadata.dc.contributor.referee3: Santos, Francisco de Assis Souza dos
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa efetuou a interpretação de algumas possibilidades de interferência da religião/religiosidade/espiritualidade/fé no tratamento/cura de pacientes oncológicos, isto é, transcendendo, o domínio das ciências médicas para tangenciar outros domínios que envolvem crença, cultura e historicidade da pessoa humana. Traçou-se o objetivo de destacar factíveis alterações em pacientes oncológicos dotados de religiosidade/fé, abrangendo tanto o contexto da recepção do diagnóstico quanto o processo de tratamento. Partiu-se de uma pesquisa bibliográfica, tendo como pilares teóricos como Moacyr Scliar, Alexsandro Silva, Harold Koenig, Fornazari e Ferreira, Dalgalarrondo. Primeiramente, abordou-se a multiface patológica do câncer. Para tanto, foi necessário discorrer sobre as concepções de saúde/doença para só então tocar no cerne oncológico, em especial, na consciência real de seu diagnóstico. Avançando, discorreu-se sobre o luto antecipatório (decorrente da consciência da doença) e o processo de tratamento. Numa outra parte do trabalho o foco se circunscreve às indagações do paciente: aceitação da doença (perspectiva clínica e religiosa); vida e morte (perspectiva biológica e religiosa: coping religioso (processo de cura). A partir dessa fundamentação, realizou-se uma pesquisa empírica em que se adotou o estudo de caso de natureza qualitativa envolvendo quatro pesquisados. O teórico metodológico que sobressaiu foi Robert Yin. Concluiu-se desta investigação que os informantes (pacientes oncológicos) reagem de modo diferente diante do diagnóstico e da aceitação da doença; apegam-se à religiosidade/oração (coping religioso) para enfrentar a doença, mas esse expediente não substitui tratamento nem é sinônimo de cura, apenas conforta e fortalece as perspectivas de vida; sentem mais tranquilos com a prática da oração e da religiosidade comedida, isto é, longe da efervescência religiosa.
Abstract: This research has interpreted some possibilities of interference of religion/religiosity/spirituality/faith in the treatment/cure of cancer patients, that is, transcending the domain of the medical sciences to touch other domains that involve the belief, culture and historicity of the human person. The aim was to highlight possible changes in cancer patients with religiosity/faith, covering both the context of receiving the diagnosis and the treatment process. It was based on a bibliographical research, having as theoretical pillars such as Moacyr Scliar, Alexsandro Silva, Harold Koenig, Fornazari and Ferreira, Dalgalarrondo. First, the pathological multifaceted cancer was addressed. In order to do so, it was necessary to discuss health / disease conceptions only to touch oncological heart, especially in the real awareness of its diagnosis. Moving forward, we discussed the anticipatory mourning (arising from the awareness of the disease) and the treatment process. In another part of the work the focus is limited to the patient's inquiries: acceptance of the disease (clinical and religious perspective); life and death (biological and religious perspective: religious coping (healing process).This empirical research was carried out in which a case study of a qualitative nature involving four respondents was adopted. The methodological theorist that stood out was Robert Yin. Concluded that informants (cancer patients) react differently to the diagnosis and acceptance of the disease; they cling to religion/prayer (religious coping) to deal with the disease, but this it replaces treatment and is not synonymous with healing, it only comforts and strengthens the prospects of life; they feel more comfortable with the practice of prayer and sensible religiosity, that is, far from religious effervescence.
Keywords: Câncer. Coping religioso. Fé/religiosidade. Luto antecipatório. Morte. Saúde/doença. Tratamento/cura
Cancer. Religious coping. Faith/religiosity. Anticipatory struggle. Death. Health/illness. Treatment/cure.
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
Citation: ALMEIDA; PRISZKULNIK. Quando o tratamento do câncer da criança termina: a psicanálise e o tempo singular de cada sujeito, p. 25-36. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. ÁLVAREZ, Francisco. Teologia da saúde. São Paulo: Paulinas: Centro Universitário São Camilo, 2013. AQUINO, Verônica Vrban; ZAGO, Márcia Maria Fontão. O significado das crenças religiosas para um grupo de pacientes oncológicos em reabilitação, p. 42-47. Rev Latino-americana de Enfermagem, v. 15, n. 1, jan./fev. 2007. AQUINO, Thiago Antônio Avellar de, et al. Atitude religiosa e sentido da vida: um estudo correlacional. Psicologia ciência e profissão, 2009, 29 (2), p. 228-243. Universidade Estadual da Paraíba. ASSOCIAÇÃO Portuguesa do Reiki. Reiki é simples: a filosofia devida do Reiki. 15p. Monte Kurama, 2012. Disponível em: <http://www.associacaoportuguesadereiki.com/reiki/reiki-em-portugal/wp-content/uploads/2012/09/Reiki-%C3%A9-simples-a-Filosofia-de-vida-do-Reiki.pdf>. Acesso em: 6 set. 2017. AYRES, José Ricardo de Carvalho Mesquita. Organização das Ações de Atenção à Saúde: modelos e práticas, p. 11-23. Saúde e Sociedade, v. 18, supl. 2, 2009. BALTAZAR, Danielle Vargas Silva. Crenças religiosas no contexto dos projetos terapêuticos em saúde mental: impasse ou possibilidade? Dissertação de Mestrado. Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública. Rio de Janeiro, 2003. BARRETO, Thâmara Sena; AMORIM, Rita da Cruz. A família frente ao adoecer e ao tratamento de um familiar com câncer, p. 462-467. Revista Enfermagem. UERJ, Rio de Janeiro, jul./set., v. 18, n. 3, 2010. BATISTA, Delma Riane Rebouças; MATTOS, Magda de; SILVA, Samara Frizzeira da. Convivendo com o câncer: do diagnóstico ao tratamento, p. 499-510. Revista Enfermagem. 5(3) UFSM, jul./set. 2015. BATISTELLA, Carlos. O território e o processo saúde-doença. Educação profissional e docência em saúde: a formação e o trabalho do agente comunitário de Saúde. Disponível em: <http://www.epsjv.fiocruz.br/pdtsp/index.php?livro_id=6&area_id=2%E2%88%A9itulo_id=14&autor_id=&arquivo=ver_conteudo_2>. Acesso em: 23 out. 2017. BERNAT, Ana Beatriz Rocha; COSTA. O tempo de uma escolha forçada: o sujeito infanto-juvenil, seus pais e a equipe assistente diante da indicação de amputação, p. 17-24. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. BOFF, Leonardo. Ethos mundial: um consenso mínimo entre os humanos. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. BRASIL. Dez gráficos que explicam o impacto do câncer no mundo. 4 fev. 2016. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/02/160204_gch_graficos_cancer_fn>Acesso em: 16 ago. 2017. BRASIL. Constituição Federal de 1988. Disponível em: <https://www.senado.gov.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_196_.asp>. Acesso em: 26 jul. 2017. BRAZ, M. M. Aprendendo com o câncer de mama: percepções e emoções de pacientes e profissionais e de fisioterapia. 2001. 101p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção de Sistemas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001. BRITO, Hérica Landi de; SEIDL, Eliane Maria Fleury; COSTA-NETO, Sebastião Benício. Coping religioso de pessoas em psicoterapia: um estudo preliminar, p. 202-215. Contextos Clínicos, v. 9, n. 2, jul./dez. 2016. CAETANO, Edilaine Assunção; GRADIM, Clícia Valim Côrtes; SANTOS, Lana Ermelinda da Silva dos Santos. Câncer de mama: reações e enfrentamento ao receber o diagnóstico. Rev. Enfermagem. UERJ, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 257-261, abr./jun. 2009. CAMBOIM, Aurora; RIQUE, Júlio. Religiosidade e espiritualidade de adolescentes e jovens adultos, p. 251-263. Revista Brasileira de História das Religiões. ANPUH, Ano III, n. 7, maio, 2010. CAMPOS, C. J. G; MURAKAMI, R. Religião e saúde mental: desafio de integrar a religiosidade ao cuidado com o paciente, p. 361-367. Rev. bras. Enferm. v. 65, n.2, Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672012000200024>. Acesso em: 11 ago. 2017. CARDOSO, Graça et al. Aspectos Psicológicos do Doente Oncológico, p. 8-18. Revista do Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca [s/d], EPE. Disponível em: <http://www.psilogos.com/Revista/Vol6N1/Indice9_ficheiros/Cardoso%20et%20al%20_%20p8-19.pdf>. Acesso em: 31 jul. 2017. CARDOSO, Daniela Habekost et al., Viver com câncer: a percepção do paciente oncológico, p. 461-474. Journal of Nursinf and Health. Faculdade de Enfermagem UFPel, v. 2, n. 2, 2012. CARVALHO, Sérgio Resende. Os múltiplos sentidos da categoria “empowerment” no projeto de Promoção à Saúde, p. 1088-1095. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 20(4), jul./ago., 2004. CESAR, Ana Maria Roux Valentini Coelho. Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Disponível em: <http://www.mackenzie.br/fileadmin/Graduacao/CCSA/remac/jul_dez_05/06.pdf>. Acesso em: 17 out. 2017. CHAHON. Reflexões sobre a vivência do tempo no paciente em controle, p. 37-42. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. CHIRICO, A. et al. Self-Efficacy for Coping with Cancer Enhances the Effect of Reiki Treatments During the Pre-Surgery Phase of Breast Cancer Patients. Disponível em: <http://ar.iiarjournals.org/content/37/7/3657.full>. Acesso em: 15 ago. 2017. CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1998. CIÊNCIAS da Religião. Durkheim – a religião é um faro social. Disponível em: <http://professordiassis.blogspot.com.br/2014/09/durkheim-religiao-e-um-fato-social.html>. Acesso em: 10 nov. 2017, p. 3. CONSTITUTION OF THE WORLD HEALTH ORGANIZATION. Basic Documents, Forty-fifth edition, Supplement, October 2006. Disponível em: <http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_en.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017. CORRÊA, Cairu Vieira; BATISTA, Jeniffer Soley; HOLANDA, Adriano Furtado Holanda. Coping religioso/espiritual em processos de saúde e doença: revisão da produção em periódicos brasileiros (2000-2013), p. 61-78. Revista PsicoFAE: Pluralidades em Saúde Mental, v. 5, n. 5, 2017. CUENCA, Angela Maria Belloni et al. Guia de apresentação de teses. 2. ed. São Paulo: A Biblioteca, 2008. DALGALARRONDO, Paulo. Religião, psicopatologia e saúde mental. Porto Alegre: Artmed, 2009. DANTAS; RIBEIRO. A comunicação e a humanização como aspectos fundamentais para o manejo da urgência subjetiva nos cuidados de fim de vida, p. 165-174. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. DIAS, José Roberto de Lima. O sagrado diante do influxo da religiosidade: o caso do espiritismo. X Encontro Estadual de História. O Brasil no Sul: cruzando fronteiras entre o regional e o nacional. 26 a 30 jul. 2010. Santa Maria-RS. Centro Universitário Franciscano (UNIFRS). Disponível em: <http://www.eeh2010.anpuh-rs.org.br/resources/anais/9/1278886216_ARQUIVO_TRABALHODAANPUH-COMUNICACAOEPUBLICACAO.pdf>. Acesso em: 13 nov. 2017. DÓRO, M. P. et al. O câncer e sua representação simbólica. Psicologia Ciência e Profissão p. 120-134. Brasília, v. 24, n. 2, jun. 2004. ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Trad. Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992. EQUIPE ONCOGUIA. Risco Genético e Câncer. 12 abr. 2016. Disponível em: <http://www.oncoguia.org.br/conteudo/risco-genetico-e-cancer/99/6>. Acesso em 7 nov. 2017. ESPÍNDULA, J. A. O significado da religiosidade para pacientes com câncer e para profissionais de saúde. Tese Doutorado. 233p. Programa de Pós Graduação em Enfermagem Psiquiátrica da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, 2009. FARINHAS, Giseli Vieceli; WENDLING, Maria Isabel; DELLAZZANA-ZANON, Letícia Lovato. Impacto psicológico do diagnóstico de câncer na família: um estudo de caso a partir da percepção do cuidador, p.111-129. Pensando famílias. v. 17, n. 2, Porto Alegre-RS, dez. 2013. FERNANDES; Gilberto; INOCENTE, Nancy Julieta. Estratégias para enfrentamento (coping): um levantamento bibliográfico. 5p. XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação. Universidade do Vale do Paraíba. Disponível em: <http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2010/anais/arquivos/0570_0609_01.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2017. FLECK, Marcelo Pio da Almeida et al. Desenvolvimento do WHOQOL, módulo espiritualidade, religiosidade e crenças pessoais. Revista Saúde Pública, 2003; 37 (4); p. 446-455. Porto Alegre-RS. FORNAZARI, Silvia Aparecida; FERREIRA, Renatha El Rafihi. Religiosidade/ espiritualidade em pacientes oncológicos: qualidade de vida e saúde. Psicologia: teoria e pesquisa. v. 26, n. 2, p. 265-272, abr./jun. 2010. FOWLER, James W. Estágios da fé: a psicologia do desenvolvimento humano e a busca de sentido. Trad. Júlio Paulo Tavares Zabatiero. São Leopoldo-RS: Sinodal,1992. FREITAS, Iara Silva; CARDOSO, Erika Arantes de Oliveira; SANTOS, Manoel Antônio. Espiritualidade e religiosidade em mães de crianças com câncer hematológico. Psicol. estud., Maringá, v. 22, n. 3, p. 433-447, jul./set. 2017. GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. GIOVANETTI, José Paulo. Psicologia e espiritualidade, p. 129-145. In: AMATUZZI, Mauro Martins (Org.). Psicologia e espiritualidade. São Paulo: Paulus, 2005. GOBATTO, Caroline Amado; ARAUJO, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de. Religiosidade e espiritualidade em oncologia: concepções de profissionais da saúde, p. 11-34. Psicologia, 24(1), USP, São Paulo, 2013. GOOGLE MAPS. [ComVida - Entidade auxilia pacientes oncológicos]. Disponível em: <https://www.google.com.br/maps/place/Comvida/@-21.201233,-41.8899975,17z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0xbc6069ad4a9f85:0x6e01344e226ec55f!8m2!3d-21.201233!4d-41.8878088?hl=pt-BR>. Acesso em: 17 out. 2017. IAMIN, Solange Regina Signori; ZAGONEL, Ivete Palmira Sanson. Estratégias de enfrentamento (coping) do adolescente com câncer, p. 427-435. Psicol. Argum., v. 29, n. 67, Curitiba, out./dez. 2011. JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário básico de filosofia. 3. ed. São Paulo: Jorge Zahar, 1996. KNAPP, P. Terapia cognitivo-comportamental na prática psiquiátrica. Porto Alegre: Artmed, 2004. KOENIG, Harold G. Religion, spirituality, and health: the research and clinical implications. ISRN psychiatry, v. 2012, 2012. KOVÁCS, M. J. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Inca. Instituto do Câncer. Estimativas da incidência e mortalidade por câncer. Rio de Janeiro: Inca, 2015a. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/index.asp?ID=2> Acesso em: 20 de mar. 2017. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Inca. Instituto do Câncer. ABC do câncer: abordagem básica para o controle do câncer. Rio de Janeiro: Inca, 2011, 128p. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abc_do_cancer.pdf> Acesso em: 20 de mar. 2017. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Inca. Instituto Nacional de Câncer. Os tempos no hospital oncológico. SILVA, José Alencar Gomes da. et al. (Orgs.). – Rio de Janeiro, 2015b. MADEIRA, Lélia Maria; ALVES, Marília. Processo saúde doença trabalho, p. 164-169. Semina: Ciências biológicas/Saúde Londrina, v.17, n. 2, 1996, p. 166. MAIA, Sonia Alice Felde. Câncer e morte: o impacto sobre o paciente e a família. 24p. Trabalho de Conclusão do Curso de Especialização em Psiconcologia, Hospital Erasto Gaertner, Curitiba-PR, 2005. MARCHI, Euclides. O sagrado e a religiosidade: vivências e mutualidades, p. 33-53. História: Questões & Debates, Curitiba, UFPR, n. 43, 2005. MINAYO, Maria Cecília de Souza. Saúde-doença: uma concepção popular da etiologia. Caderno Saúde Pública, v. 4, n. 4, Rio de Janeiro, oct./dez. 1988. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1988000400003>. Acesso em: 26 jul. 2017. MIRANDA, Ana Cristina. Do diagnóstico ao tratamento de câncer: o familiar, a acompanhante e seu processo de adaptação. 71p., Monografia de Enfermagem. Universidade do Vale do Itajaí. Biguaçu-SC, 2009. MORAES, M. C. O paciente oncológico, o psicólogo e o hospital, p. 57-60. In: CARVALHO, M. M. M. J. (Org.). Introdução à Psicologia. Campinas: Livro Pleno, 2002. MORELLI, Ana Bárbara; SCORSOLINI-COMIN, Fabio; SANTOS, Manoel Antônio dos. Impacto da morte do filho sobre a conjugalidade dos pais. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 9 Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Rio de Janeiro, p. 2711-2720, 2013. NUCCI. N. A. G. Qualidade de vida e câncer: um estudo compreensivo, 2003. 225p. Tese (Doutorado). Faculdade de Filosofia. Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. OLIVEIRA, Fabiana Luci de. O campo da sociologia das religiões: secularização versus a “revanche de Deus”. 14p. InterThesis, n. 2, v. 2, Florianópolis-SC, jul./dez. 2005. OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Metodologia científica aplicada ao Direito. São Paulo: Pioneira, 2002. PANZINI, Raquel Gehrke; BANDEIRA, Denise Ruschel. Coping (enfrentamento) religioso/espiritual, 126-135. Rev. Psiq. Clín. 34, supl. 1, 2007. PEREIRA et al. A vivência do paciente oncológico e suas estratégias de enfrentamento, p. 51-62. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. PERES, Mário F. P. et al. A importância da integração da espiritualidade e da religiosidade no manejo da dor e dos cuidados paliativos. Rev. Psiquiatria Clínica, n. 34, supl 1, São Paulo, p. 82-87, 2007. PESSINI, Leo; BERTACHINI, Luciana. Novas perspectivas em cuidados paliativos: ética, geriatria, gerontologia, comunicação e espiritualidade, p. 491-509. O mundo da saúde. São Paulo, ano 29, v. 29, n. 4 out./dez. 2005. PINTO, Cândida. Construção de uma escala de avaliação da espiritualidade em contextos de saúde. Arquivos de Medicina, v. 21, n. 2, p. 47-53, 2007. REISNER, H. M. Patologia: uma abordagem por estudos de caso. Porto Alegre: AMGH, 2016. SAAD, Marcelo; MASIERO, Danilo; BATTISTELLA, Linamara Rizzo. Espiritualidade baseada em evidências, p. 107-112. Acta Fisiátrica, v. 8, n. 3, 2016. SABROZA, Paulo Chagastelles. Concepções sobre Saúde e Doença. 30p. Curso de Aperfeiçoamento de Gestão em saúde. Educação A Distância/Escola Nacional de Saúde Pública. Disponível em: <http://www.abrasco.org.br/UserFiles/File/13%20CNS/SABROZA%20P%20ConcepcoesSaudeDoenca.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2017. SALIMENA, Anna Maria de Oliveira et al. Mulheres enfrentando o câncer de mama, p. 339-347. Rev. Min. Enferm. 16(3), jul./set., Universidade Federal de Juiz de Fora/Facet, 2012. SANTOS, Franklin Santana. Para além da dor física: trabalhando com a dor total, p. 397-405. In: SANTOS, Franklin Santana. (Org.). Arte de cuidar: saúde, espiritualidade e educação. Bragança Paulista-SP: Comenius, 2010. SATHLER-ROSA, Ronaldo. Cuidado pastoral em perspectiva histórica e existencial: uma revisão crítica. São Paulo: Aste, 2013. SCLIAR, Moacyr. História do conceito de saúde, 29-41. Physis: Revista Saúde Coletiva, 17(1), Rio de Janeiro, 2007. SIGNIFICADO DE DNA. O que é DNA. Disponível em: <https://www.significados.com.br/dna/>. Acesso em: 11 nov. 2017. SILVA, Carine dos Reis et al. Religião e morte: qual a relação existente? p. 130-141. Revista Enfermagem Contemporânea, 1(1). Salvador, dez. 2012. SILVA, Alexsandro Coutinho da. A capelania hospitalar: uma contribuição na recuperação de enfermo oncológico. 122p. Dissertação de mestrado. Escola Superior de Teologia. São Leopoldo, 2010. SILVA, Lucia Cecilia da. O sentido do cuidado da vivência da pessoa com câncer: uma compreensão fenomenológica. 187p. Tese de doutorado em Psicologia. Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, 2006. SILVA, Valéria Costa Evangelista da. O impacto da revelação do diagnóstico de câncer na percepção do paciente. Dissertação de Mestrado, Curso de Pós-Graduação em Enfermagem, Programa interistitucional USP/ UEL/ UNOPAR, São Paulo, 2005. SOUZA; MELO (Amor)tecer o sofrimento: a escuta do paciente oncológico no cuidado paliativo, p. 43-50. In: SILVA, José Alencar Gomes da; BERNAT, Ana Beatriz Rocha; LIMA, Fernando Lopes Tavares de; ALCÂNTARA, Luciana da Silva; SWINERD, Mônica Marchese (Orgs.). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015. TETZNER, Neusa. Uma vivência espiritual cristã, p. 213-216. In: AMATUZZI, Mauro Martins (Org.). Psicologia e espiritualidade. São Paulo: Paulus, 2005, p. 215. VASCONCELOS, Eymard Mourão. A associação entre vida religiosa e saúde: uma breve revisão de estudos quantitativos, p.12-18. R. Eletr. de Com. Inf. Inov. Saúde (RECIIS), v. 4, n. 3, Rio de Janeiro, set., 2010, p. 12. Disponível em: <http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/_repositorio/2015/12/pdf_8a36773bb6_0000018932.pdf>. Acesso em: 11 ago. 2017. VEIT, Carina Maria Veit; CASTRO, Elisa Kern de. Coping religioso/espiritual em mulheres com câncer de mama, p. 421-435. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro, 65 (3). Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v65n3/08.pdf>. Acesso em: 14 ago. 2017. VOLPINI, Fernanda Siebert. O adolescente frente ao câncer: hospitalização e processos psicológicos. Monografia. Curso de Especialização em Psicologia Hospitalar. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto-Alegre-RS, 2007. WILGES, Irineu. Cultura Religiosa: as religiões no mundo. Vozes, 10. ed. Petrópolis, 1999. YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2.ed. Trad. Daniel Grassi. Porto Alegre-RS: Bookman, 2001
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/26
Issue Date: 7-Dec-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Geane Freitas Pires de Castro.pdfDissertação - Geane Freitas Pires de Castro11,53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.