Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/19
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O PRECONCEITO RELIGIOSO E A CULTURA DE CONGO NAS AULAS DE ARTES
metadata.dc.creator: COSTA, DOUGLAS PINHEIRO
metadata.dc.contributor.advisor1: Gonçalves, José Mário
metadata.dc.contributor.referee1: Brotto, Julio Cezar de Paula
metadata.dc.contributor.referee2: Schuchter, Terezinha Maria
metadata.dc.contributor.referee3: Gonçalves, José Mário
metadata.dc.description.resumo: O termo Congo se refere ao conjunto de músicas e manifestações folclóricas desta tradição cultural. É uma manifestação cultural popular trazida pelos escravos africanos no período colonial brasileiro. No Congo Capixaba temos o encontro das três principais matrizes culturais do povo brasileiro: O africano, o europeu e o indígena. Apesar de sua origem religiosa, ao longo dos anos, a tradição de Congo não se ateve apenas a expressão da fé dos seus praticantes. Canções sobre variados temas passaram a fazer parte do repertório das bandas. A expressão cultural popular também representa um ritmo musical característico que inspirou trabalhos de diversos artistas. É considerada a principal manifestação folclórica do estado. Contudo, este trabalho de pesquisa sobre o preconceito religioso em relação à cultura de Congo nas aulas de Artes e na escola parte do problema que fatores de preconceitos, dentre eles religiosos, culturais, raciais e/ou mesmo sociais, impedem que muitos alunos, familiares e mesmo profissionais da educação estejam abertos para atividades relacionadas à temática. Neste trabalho, a pesquisa bibliográfica apresenta os principais aspectos culturais, históricos e religiosos da manifestação. Em campo, a observação e vivência in loco de festividades, eventos e manifestações de Congo, possibilitou levantar registros e informações significativas. Através de entrevista qualitativa presencial com questões semiabertas e também com preenchimento de outro formulário com questões fechadas, a pesquisa de campo obteve dados de congueiros, artistas, profissionais da educação, familiares e alunos de seis escolas públicas de ensino fundamental pesquisadas nas cidades de Cariacica e de Vitória. Os resultados apontam que existe o preconceito religioso em relação a esta cultura, que a sua manifestação não é amplamente e profundamente conhecida por alunos e familiares das escolas pesquisadas. O desconhecimento desta manifestação cultural também demonstra certa invisibilidade desta tradição nos meios de comunicação e nas instituições públicas que não a enxergam como uma potência cultural de identidade do povo capixaba. Contudo, a identificação cultural com temáticas afro-culturais se mostrou como um fator relevante na relação dos entrevistados com a manifestação. Igualmente, os hábitos culturais dos entrevistados interferem na compreensão e apreciação da cultura de Congo. A escola foi o principal espaço de vivência e de apreciação da cultura popular mencionada por grande parte dos entrevistados. Com isso, exaltamos a importância e necessidade da abordagem da temática do Congo na escola e da interdisciplinaridade entre as disciplinas de Artes, História e Ensino Religioso. Trabalhando-se com a proposta triangular de ensino da arte, a tradição popular capixaba é um excelente meio para apresentar aos alunos a cultura popular local, assim como as origens e características da mesma. Dessa forma, atende-se as leis de valorização da história e culturas afro-brasileiras e indígenas nas aulas de artes. A pesquisa apresenta os principais aspectos culturais, históricos e religiosos da manifestação. As principais teorias que sustentam os argumentos e análises deste trabalho são as de Laraia sobre o dinamismo cultural, de Bakhtin sobre a circularidade cultural, de hibridismos mencionados por Burke, os conceitos de sagrado e profano conforme apresentados por Eliade, de invisibilidade do negro e da cultura popular, também de preconceitos religiosos referentes a manifestações de matriz africana mencionados por vários autores. Com a abordagem triangular de Barbosa sobre o ensino de Artes, apontamos caminhos para abordar a temática em sala de aula e apresentamos propostas para maior divulgação da cultura popular do Congo Capixaba.
Abstract: The term “Congo” refers to a set of music and folkloric manifestations of this cultural manifestation. It’s a popular cultural manifestation brought by African slaves in the Brazilian colonial period. At Capixaba Congo, we have the meeting of the three main cultural matrices of Brazilian people: The African, the European and the Indigenous. Despite its religious origins, along the years, the tradition of the Congo hasn’t stuck to its practitioners expressions of faith only. Songs about many themes have come to be part of the bands’ repertory. The popular cultural expression also represents a characteristic musical rhythm that has inspired the work of many artists. It is considered the main folkloric manifestation of the State of Espírito Santo. However, this research work about religious prejudice in relation to the culture of Congo at Art classes and at school starts from the problem that prejudice factors, as such as religious, cultural, racial and/or social kinds, prevent that many students, relatives and even education professionals to be open minded to activities related to the subject. This work, a bibliographical research, presents the main cultural, historical and religious aspects of the manifestation. In field, the observation and experience of the festivities, events and manifestations of Congo in loco made possible to record up meaningful information. Through presential qualitative interviews with semi open questions and also the filling of objective forms, the field research got data from the “congueiros”, artists, education professionals, relatives and students from six primary public schools researched in the cities of Cariacica and Vitória. The results show that there is religious prejudice related to this culture and that its manifestation isn’t fully and widely recognized by the students and relatives from the researched schools. The unfamiliarity of the cultural manifestation also shows a kind of invisibility of the tradition by means of communication and by public institutions that can’t see it as a cultural power of the capixaba people's identity. Yet, the cultural identification with the Afro-cultural thematic has shown itself as a relevant factor in the relation between the interviewed people and the manifestation, equally, the interviewee’s cultural habits interfere in the comprehension and appreciation of the culture of Congo. School was the leading space of experience and appreciation of the popular culture mentioned by the majority of the interviewed. Thereby, we exalt the importance and necessity of dealing with the thematic of Congo at school and of the interdisciplinary between the Arts, History and Religion disciplines. Working with the triangular proposal to the teaching of Arts, the popular capixaba tradition is an excellent way to introduce the students to the local popular culture, as well as its origins and characteristics. This way, we attend to the laws of valorization of the Afro-Brazilian and indigenous history and culture. The research presents the main cultural, historic and religious aspects of the manifestation. The primary theories the sustain this work’s arguments and analyses are authored by Laraia about cultural dynamism, by Bakhtin about cultural circularity, about hybridisms by Burke, the concepts of the sacred and the profane as presented by Eliade, of invisibility of black people and of the popular culture mentioned by various authors. With the triangular approach of Barbosa about the Arts teaching we point the way to deal with the thematic in classroom and we present proposals for a better divulgation of the capixaba’s popular culture of Congo.
Keywords: Palavras-chave: Cultura de Congo, Preconceito Religioso, Artes, Educação.
Congo’s culture, Religious prejudice, Art, Education
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Religiões
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões
Citation: ASSOCIAÇÃO de bandas de Congo da Serra. O Congo da Serra. c2012. Disponível em: <http://www.abcserra.org.br/historia.html>. Acesso em: 20 mar. 2017. ASSOCIAÇÃO de bandas de Congo da Serra. Festas. Serra: Associação de bandas de Congo da Serra, c2013. Disponível em: <http://www.abcserra.org.br/festas.html>. Acesso em: 13 jan. 2016. AMOR MASCARADO. Escrito e dirigido por alunos da Escola do Campo e Estação de Ciências Margarete Cruz Pereira. Produzido por Andreia Ramos e Scheila Shunk Cariacica: Instituto Marlin Azul e Semcult. 2013. Animação publicada na internet. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=5Adeu7EQIJw>. Acesso em: 07 ago. 2017. BAKTHIN, Mikhail. A cultura popular na idade média e no renascimento - O contexto de François Rebelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo: HUCITEC; Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1993. BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1991. BARBOSA, Ana Mae. Tópicos Utópicos. Belo Horizonte: Ed. Com/Arte, 1999. BARBOSA, Ana Mae. A importância do ensino das artes na escola. Revista Época, reportagem publicada em meio digital. 16 mai. 2016. Entrevista concedida a Beatriz Morrone. Disponível em: <http://epoca.globo.com/ideias/noticia/2016/05/importancia-do-ensino-das-artes-na-escola.html>. Acesso em: 18 jun. 2016. BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa; RODRIGUES, Alexandro, SISS, Ahyas. (Orgs.) Africanidades: produções identitárias e políticas culturais. Vitória: EDUFES. 2013. BARROS, N. C. de. Antropogeografia: ecologia, cultura e europeização. Revista de Geografia – Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPE. Recife, v. 29, n. 2, p. 25-33, 2012. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229047>. Acesso em: 18 fev. 2017. BASTOS, Fabíola Martins. Relações sociais, conflitos e espaços de sociabilidades: formas de convívio no município de Vitória. 2009. 204 f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História Social das Relações Políticas, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2008. BRASIL. Constituição Federativa da República de 1988: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1998, com as alterações adotadas pelas emendas constitucionais nos 1/92 a 68/2011 e pelas emendas constitucionais de revisão nº1 a 6/94. Brasília: Senado Federal – Subsecretaria de Edições Técnicas, 2012. BRASIL. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010. BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5692.htm>. Acesso em: 18 jun. 2016. BRASIL. Lei no 8.069/90, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm>. Acesso em: 17 jun. 2017. BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 12 de dez. 2016. BRASIL. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm>. Acesso em: 12 de dez. 2017. BRASIL. Lei nº 11.645, de 20 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm>. Acesso em: 12 dez. 2017 BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: Arte. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC, 1997. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro06.pdf>. Acesso em: 19 out. 2017. BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: apresentação dos temas transversais/Secretaria de educação Fundamental – Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro081.pdf>. Acesso em: 19 out. 2017. BRAVIN, Adriana. A articulação Congopop: projeto, mídia e identidade na produção musical contemporânea no Espírito Santo. 2015. 140 f. Dissertação (mestrado) - Curso de Pós-Graduação em Comunicação, imagem e Informação da Universidade Federal Fluminense - UFF. Niterói, 2015. BOTTO, Fabio (Dir). São Benedito – 05 de outubro: Protetor dos negros. Portal catolicismo Romano: Direção geral de Fabio Botto. São Paulo: Grupo Editorial Sfera. c2010. Disponível em: <http://irmandadedoshomenspretos.org.br/site/sao-benedito/>. Acesso em: 05 mar. 2017. BOTTO, Fabio (Dir). São Benedito: Protetor dos negros. Portal catolicismo romano: Direção geral de Fabio Botto. São Paulo: Grupo Editorial Sfera. c2010. Disponível em: <http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/35/28/>. Acesso em: 05 mar. 2017. BRUYM, Maria José Carmo Alves de; MARTINS, Lizete Caires Barros. Festa da Banda de Congo de São Benedito de Piranema Cariacica: Transição do século XX ao XXI e sua representação para a comunidade local.2010. 72p. Trabalho de conclusão de curso (monografia) – Graduação da Licenciatura em História. Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Teixeira de Freitas, 2010. BURKE, Peter. Hibridismo cultural. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2003. CAPAI, Humberto (coord.). Atlas do Folclore Capixaba. Vitória: SEBRAE, 2009. CAPES. Tabela de Áreas do Conhecimento. BRASÍLIA: MEC/CAPES, 2017. Disponível em: <http://www.capes.gov.br/images/documentos/documentos_diversos_2017/TabelaAreasConhecimento_072012_atualizada_2017_v2.doc>. Acesso em: 12 dez. 2017. CERNIAVSKIS, Elvira. Congo: Fé ou Festa? Eis a questão! 2010. 37f. Trabalho de conclusão de Curso (Especialização) - Curso de pós-graduação em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos. Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação, Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, 2010. Disponível em: <http://www.usp.br/celacc/?q=celacc-tcc/356/detalhe>. Acesso em: 05 mar. 2017. CEZAR, Lilian Sagio. Saberes contados, saberes guardados: a polissemia da congada de São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais. Horizontes antropológicos, Porto Alegre, v.18, n.38, p. 187-212, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ha/v18n38/08.pdf>. Acesso em: 05 mar. 2017. COMISSÃO NACIONAL DE FOLCLORE. Carta do Folclore Brasileiro. Salvador, 16 dez. 1995. Disponível em: < http://www.fundaj.gov.br/geral/folclore/carta.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2017. COSTA, Eduard Montgomery Meira. Orixás: Magia Elemental e Espiritualidade nas Religiões Afro-Brasileiras. São Paulo: AGBOOK, 2011. CHINELLI, Juliana de Jesus. Reflexão sobre a observação das práticas religiosas como expressões de identidades culturais. Unitas – Revista Eletrônica de Ciências das Religiões, Vitória, v. 2, jul.-dez. p. 44-60, 2014. Disponível em: <http://revista.faculdadeunida.com.br/index.php/unitas/article/view/141>. Acesso em: 10 abr. 2016. CHINELLI, Juliana de Jesus. Reflexão sobre a observação das práticas religiosas como expressões de identidades culturais. Unitas – Revista Eletrônica de Ciências das Religiões, Vitória, v. 2, jul.-dez., 2014, p. 44-60. Disponível em: <http://revista.faculdadeunida.com.br/index.php/unitas>. Acesso em: 10 abr. 2016. ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Tradução Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992. EIMER, Haroldo. Considerações sobre multidisciplinariedade e interdiciplinaridade na área. Brasília: MEC/CAPES, 2012, p. 2. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/Interdisciplinaridade_Teologia.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2017. FERREIRA, Maria Nazareth, Comunicação, resistência e cidadania: as festas populares. Comunicação e Informação - UFG, Goiânia, v. 9, n. 1, p. 111-117, 2006. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/22807>. Acesso em: 08 abr. 2017. FERRETI, R. Sincretismo e hibridismo na cultura popular. Revista Pós Ciências Sociais - Periodicos UFMA. São Luis, v. 11. n. 21, p. 15-34, 2014. Disponível em: <http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/2867/2686>. Acesso em: 23 jul. 2017. FONSECA, Vivian. A capoeira e o mundo do trabalho: embates acerca da profissionalização. Arquivo Edgard Leuenroth – Centro de Pesquisa e Documentação Social do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, v.16, n.28, p. 119-141, 2010. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/viewFile/2586/1996> Acesso em: 06 ago. 2017. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 1996. FREITAS, Dagmar Alves de. O Carnaval de Congo de Roda d’Água. 2007. 189 f. Dissertação de (mestrado) - Curso de Mestrado Interdiciplinar em Educação, Administração e Comunicação da Universidade de São Marcos. São Paulo, 2007. FREITAS, Jaqueline. Insurreição do Queimado, um marco da luta pela liberdade. Palmares Fundação Cultural. 2011. Disponível em : <http://www.palmares.gov.br/?p=9431>. Acesso em: 26 mar. 2017. FRESSATO, Soleni. Jeca Tatu: Uma representação cômica da cultura popular no cinema nacional. In. II ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDICIPLINARES EM CULTURAS, 2016, Salvador. Anais... Salvador: UFBA - CULT - Centro de estudos multidisciplinares em cultura, 2016. p. 1-15. Disponível em: <http://www.cult.ufba.br/enecul2006/soleni_fressato.pdf>. Acesso em: 14 mai. 2017. GARCIA, A. L. A identidade capixaba em questão: uma análise psicossocial. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte: Associação Brasileira de Psicologia Social, v. 16, n. 3, p. 82-90, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/psoc/v16n3/a10v16n3.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2016. GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Cia. das Letras, 1987. GOULARTE, Rodrigo da Silva. O conto do vigário e outros contos: Revoltas escravas no Espírito Santo dos Oitocentos. Revista Eletrônica Discente História.com, Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cachoeira, v.1, n. 1, p. 1-13, 2013. IANNI, Octavio. Dialética das relações raciais. Estudos avançados, São Paulo, v.18, n.50, p.21-30, 2004. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142004000100003>. Acesso em: 14 abr. 2017. IPHAN. Patrimônio material. Brasília: IPHAN, c2014. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/276>. Acesso em: 13 fev. 2017. IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte: sala de formação de professores. Porto Alegre: Artmed, 2003. KODAMA, Katia Maria Roberto de Oliveira; SILVA, Ana Carolina de Souza Silva. Valorização das artes e culturas populares no ensino de artes: uma proposta de educação para promover o pertencimento. Colloquium Humanarum, Presidente Prudente, v.9, n. Especial, 1236-1244, 2012. Disponível em: <http://www.unoeste.br/site/enepe/2012/suplementos.aspx?area=Humanarum>. Acesso em: 17 jun. 2017. LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 11 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996. LIMA, Daniel Torquato Fonseca de; FONSECA, Ivonildes da Silva; FERNANDES Paula Maria. Desmontando a demonização sobre as religiões afrobrasileiras. In: V COLÓQUIO NACIONAL DA AFIRSE - Secção Brasileira, 2011, João Pessoa. Anais... João Pessoa: UFPB, 2011, p. 1-7. Disponível em: <http://docplayer.com.br/12319557-Desmontando-a-demonizacao-sobre-as-religioes-afrobrasileiras-daniel-torquato-fonseca-de-lima-ivonildes-da-silva-fonseca-paula-maria-fernandes.html>. Acesso em: 01 mai. 2017. LIMA, Magali. Vila Velha quer o congo como patrimônio cultural imaterial, mas não valoriza um dos principais polos da manifestação. Século Diário, Vitória, 24 dez. 2016. Disponível em: <http://seculodiario.com.br/32065/17/vila-velha-quer-o-congo-como-patrimonio-cultural-imaterial-mas-nao-valoriza-um-dos-principais-polos-da-manifestacao>. Acesso em: 18 fev. 2017. LUPPI, Syria. Festa da Penha: bandas de congo organizam a primeira fincada de mastro. Notícia. Prefeitura Municipal de Vila Velha. Vila Velha, 23 jan. 2017. Disponível em: <http://vilavelha.es.gov.br/noticias/2017/01/festa-da-penha-bandas-de-congo-organizam-a-primeira-fincada-de-mastro-11912>. Acesso em: 18 fev. 2017. MAZÔCO, Eliomar Carlos. O Congo de Máscaras. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo/ Secretaria de Produção e Difusão Cultural. 1993. MELO, Amanda Cristina Figueira Bastos de; ANDRÉ, Bianka Pires. Arte popular: perspectivas multiculturais para o ensino de Artes Visuais no Brasil. Revista Digital Art&, São Paulo, Ano 12, n.15, p.1-10, 2014. Disponível em: <http://www.revista.art.br/site-numero-16/9.pdf> Acesso em: 07 ago. 2017. MELLO E SOUZA, Marina de. Reis negros no Brasil escravista: história da festa de coroação de Rei Congo. Belo Horizonte. Editora da Universidade de Minas Gerais, 2002. MORIGI, Valdir Jose; ROCHA, Carla Pires Vieira da; SEMENSATTO, Simone; Memória, representação sociais e cultura imaterial. Morpheus - Revista Eletrônica em Ciências Humanas, Rio de Janeiro, Ano 09, n. 14, p.182-191, 2012. Disponível em: <http://www4.unirio.br/morpheusonline/numero14-2012/artigos/waldir_pt.pdf>. Acesso em: 06 ago. 2017. MOURA, Antônio de Paiva. Turismo e Festas Folclóricas no Brasil. In. FUNARI, Pedro Paulo e PINSK, Jaime (Orgs.) Turismo e Patrimônio Cultural. São Paulo: Contexto, 2009, p. 38-39. MUNANGA, Kabengele; GOMES, Nilma Lino. Para entender o negro no Brasil de Hoje: Histórias, Realidades, Problemas e Caminhos. São Paulo: Global: Ação Educativa, 2006. NEVES, Reinaldo Santos (Org.). Coletânea de estudos e registros do folclore capixaba: 1944-1982. v. 2. Guilherme Santos Neves. Vitória: Centro Cultural de Estudos e Pesquisas do Espírito Santo, 2008. OLIVEIRA, Sofia Araújo de. Cultura popular e o maracatu rural: trilhando o caminho do espetáculo. CULTUR, Ilhéus, ano 05, n. 01. p. 58-70, 2011. Disponível em: <http://www.uesc.br/revistas/culturaeturismo/ano5-edicao1/artigo_5.pdf>. Acesso em: 06 ago. 2017. ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração universal dos direitos humanos. Rio de Janeiro: UNIC. 2009. p.14-15. Disponível em: <http://www.onu.org.br/img/2014/09/DUDH.pdf>. Acesso em: 17 jun. 2017. ORO, Ari Pedro. Intolerância religiosa Iurdiana e reações afro no Rio Grande do Sul. In: SILVA, Vagner Gonçalves da (org.). Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religiosa afro-brasileiro. São Paulo: EDUSP, 2007. p. 33. OSÓRIO, Carla; BRAVIN, Adriana; SANTANNA, Leonor. Negros do Espírito Santo. São Paulo: Escrituras Editora, 1999. POLLOCK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, p. 200-212, 1992. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/1941/1080>. Acesso em: 05 mar. 2017. PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA. Diretrizes Curriculares do Município de Cariacica/ES - Ensino Fundamental (6º ao 9º Ano). Cariacica: Prefeitura Municipal de Cariacica/ Secretaria Municipal de Educação de Cariacica. 2012. Disponível em: <http://www.cariacica.es.gov.br/wp-content/uploads/2016/06/DIRETRIZES-FINAL-6%C2%BA-AO-9%C2%BA-ANO.pdf>. Acesso em: 18 jun. 2017. PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA, Lei nº. 5.477, de 13 de outubro de 2015. Dispõe sobre a criação da lei municipal de incentivo financeiro à cultura – Lei João Bananeira, Cariacica/ES, e dá outras providências. Cariacica, 13 de outubro de 2015. Disponível em: <http://www.legislacaocompilada.com.br/cariacica/Arquivo/Documents/legislacao/html/L54772015.html>. Acesso em: 06 dez. 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DA SERRA, Agenda Cultural. Serra: SETUR. 2017. Disponível em: <http://www.serra.es.gov.br/detalhe-da-materia/info/agenda-cultural/7074>. Acesso em: 13 fev. 2017 PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA, Lei nº 5820, de 13 de janeiro de 2017. Declara “Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Vila Velha” a manifestação denominada “Congo”. PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Diretrizes curriculares para o ensino fundamental. Prefeitura de Vitória: Secretaria de educação-Sistema Municipal de Ensino de Vitória. Vitória, 2004. p. 75-76. PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Diretrizes Curriculares do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos. Prefeitura Municipal de Vitória/ Secretaria de Educação. SPERANDIO, Adriana (Coord.); CASTRO, Janine Pereira de Castro; FIORIO, Ângela Francisca Caliman. Vitória: Seme. 2016. PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Política de formação continuada para os profissionais da educação da rede de ensino de Vitória. Vitória: Prefeitura Municipal de Vitória/ Secretaria Municipal de Educação/ Subsecretaria Político-Pedagógico/ Gerência de Formação e Desenvolvimento em Educação. 2016. RIBEIRO, Anderson Santos. A devoção a São Benedito. Rio de Janeiro: Imperial Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos. c2017. Disponível em: <http://irmandadedoshomenspretos.org.br/site/sao-benedito/>. Acesso em: 05 mar. 2017. RIBEIRO, Anderson Santos. Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos e a construção do mito da escrava Anastácia. Rio de Janeiro: Imperial Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos. c2017. Disponível em: <http://irmandadedoshomenspretos.org.br/site/a-irmandade/>. Acesso em: 05 mar. 2017. ROLDI, Ana Paula Dias Pazzagli, A Educação Ambiental nos encontros do Congo com os cotidianos escolares de uma Escola Municipal da Barra do Jucu, Vila Velha, ES. 2014.138 f. Dissertação (mestrado) Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, Vitória, 2014. SANTOS, Elice Sena. A invisibilidade da cultura negra na mídia capixaba. 2015. 4f. Trabalho de conclusão de curso - Disciplina de Formação Social, Econômica, Política e Cultural. Centro de Artes, Departamento de Comunicação Social. Universidade Federal do Espírito Santo. UFES: Vitória, 2015. p. 2. Disponível em: <http://www.academia.edu/17647511/A_invisibilidade_da_cultura_negra_na_midia_capixaba>. Acesso em: 14 mai. 2017. SANTOS, Erton Kleiton Cabral dos; BARROS, Ana Maria de. Educação e cultura: O papel da arte educação na formação de protagonismo na juventude pernambucana. In: FORUM INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Realize Editora, 2009. p. 1-13. Disponível em: <https://www.ufpe.br/ppgdh/images/documentos/anamb5.pdf>. Acesso em: 17 jun. 2017. SANTOS, Gislene Aparecida dos. Selvagens, exóticos, demoníacos: ideias e imagens sobre gente de cor preta. Estudos afro-asiáticos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. 275-289, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/eaa/v24n2/a03v24n2.pdf>. Acesso em: 04 set. 2015. SANTOS, José Elias Rosa dos. Carnaval de Congo e Máscaras: construção e reconstrução de um ritual. In: I SIMPOSIO INTERNACIONAL E II NACIONAL SOBRE ESPACIALIDADES E TEMPORALIDADES DE FESTAS POPULARES. 2013, Goiânia. Anais...Goiânia: LABOTER UFG, 2013, p. 307-329. Disponível em: <https://laboter.iesa.ufg.br/up/214/o/Ebook_SIMCA.pdf>. Acesso em: 26 mar.2016. SANTOS, José Elias Rosa dos. Processos organizativos e identidade afro-brasileira: a transmissão do Congo em Cariacica/ES. 2013. 213p. Dissertação (mestrado) Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013. SANTOS, José Elias Rosa dos. Processos organizativos, memória e identidade: etnografia e história da transmissão cultural do congo em uma comunidade afro-brasileira-Cariacica (ES). In: SEMINÁRIO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS. 2011, Vitória. Anais...Vitória: UFES, 2011. p. 1-20. Disponível em: <http://periodicos.ufes.br/SNPGCS/article/view/1475>. Acesso em: 26 mar. 2016. SILVA, Patrícia Santos; LOUREIRO, Andressa Maria Rodrigues. Carnaval de Congo de Roda D’água: cultura e memória de um povo. In: II Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação - II EREBD SE/CO/SUL, 2015. p. 161-166. São Carlos. Anais... São Carlos: UFSCR, 2015. SILVA, Vagner Gonçalves. Neopentecostalismo e religiões afro-brasileiras: significados do ataque aos símbolos da herança religiosa africana no Brasil contemporâneo. Mana, Rio de Janeiro, v.13, n.1, p.207-236, abr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/mana/v13n1/a08v13n1.pdf>. Acesso em: 11 set. 2015. SOARES, Afonso Maria Ligorio. Sincretismo afro-católico no Brasil: lições de um povo em exílio. Revista de Estudos da Religião, PUC, São Paulo, n. 3, p. 45-75, 2002. Disponível em: <www.pucsp.br/rever/rv3_2002/p_soares.pdf.>. Acesso em: 19 mar. 2017. SOUSA JÚNIOR, José Pereira de. Irmandades Religiosas: espaços de devoção e disputas políticas na Paraíba oitocentista. In: ANPUH – XXV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA. 2009, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UFC, 2009 p. 1-11. Disponível em: <anais.anpuh.org/?p=16560>. Acesso em: 13 mar. 2017. SOUZA, Edileuza Penha de. Tamborizar: história e afirmação da auto-estima das crianças e adolescentes negros e negras através dos tambores de congo. 2005. 190 f. Dissertação de (mestrado) - Departamento de Educação no Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Teixeira de Freitas, 2005. Disponível em: <http://www.cdi.uneb.br/pdfs/educacao/2005/eileuza_penha_de_souza.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2016. SOUZA, Rainer Gonçalves. O Reino do Congo. Mundo educação. Portal BOL. Rede Omnia. c2017. Disponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/historiageral/o-reino-congo.htm>. Acesso em: 01 mar. 2017. SZKLARZ, Eduardo. Os deuses se alimentavam de carne humana. Super interessante. São Paulo: Editora Abril, edição especial n. 280, p. 40-45, julho de 2010. TYLOR, Edward Burnett. Primitive culture: researches into the development of mythology, philosophy, religion, language, art, and custom. London: Murray, Vol. I. 1920. UNESCO. Patrimônio Cultural Imaterial. BRASÍLIA: UNESCO, c2016. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/culture/world-heritage/intangible-heritage/> Acesso em: 26 mar.2016. VENTORIM, Luciano. Colonização. Vitória: Governo do Estado do Espírito Santo. c2015-2017. Disponível em: <https://es.gov.br/historia/colonizacao>. Acesso em: 13 fev. 2017. VILA, Martinho da. Madalena do Jucu. Álbum: O Canto das Lavadeiras. CBS, 1989. Faixa 2 (3:41 min). VILHENA, Junia de. A violência da cor: Sobre racismo, alteridade e intolerância. Revista Psicologia Política, UFMG, Belo Horizonte, v.6, n. 12, p. 1-20, 2006. Disponível em: <http://www.fafich.ufmg.br/rpp/seer/ojs/viewarticle.php?id=7&layout=html>. Acesso em: 04 set. 2015. XAVIER FILHO, José Luiz. Identidade negra no contexto pós-colonial: construção do sujeito negro. In: VII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA CULTURAL – “Escritas, Circulação e Recepções”, 2014, São Paulo. Anais... São Paulo: Universidade de São Paulo -USP, 2014. p. 1-13. Disponível em: <http://gthistoriacultural.com.br/VIIsimposio/Anais/Jose%20Luiz%20Xavier%20Filho.pdf>. Acesso em: 26 mar. 2016. XIII PRÊMIO ARTE NA ESCOLA CIDADÃ - Educação Infantil: Projeto Nós Afro. Dirigido por Renata Druck. Produzido por Nelson Encharta, e Cassiano Zuppo. Oficina, 2012. Documentário em formato de vídeo publicado na internet (6:48min), color. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ymFSeT3ifs4>. Acesso em 19 out. 2017.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.faculdadeunida.com.br:8080/jspui/handle/prefix/19
Issue Date: 13-Nov-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Douglas Pinheiro Costa.pdfDissertação - Douglas Pinheiro Costa15,08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.